Como instalar o ambiente Mate 1.10 no Ubuntu 15.04

Foi lançado recentemente (13/06) mais uma versão do ambiente , trazendo novos recursos e correções de bugs. Se você quiser experimentá-la, veja como instalar o ambiente 1.10 no Ubuntu 15.04.
Mate 1.10 no Ubuntu
MATE é o mais famoso fork do GNOME 2, que surgiu por volta do ano de 2011, quando os sistemas Linux estavam adotando o GNOME 3. Hoje, MATE está disponível por padrão no Debian, Ubuntu, Fedora, Arch Linux, Linux Mint e BSD (e derivados desses sistemas).

MATE fornece um ambiente de trabalho intuitivo e atraente, com metáforas tradicionais para outros sistemas operacionais Unix e Linux. Desse modo, ele permite que você use a antiga interface e aplicativos do GNOME 2, mas também possibilita usar as novas aplicações. Você pode, por exemplo, usar o Nautilus 3 com ele e assim por diante. Além disso, MATE pode ser instalado em paralelo com o GNOME 3, algo que não era possível com o GNOME 2.


Veja também


Curiosidade sobre o nome do ambiente Mate

Se você acha o nome desse ambiente é familiar, não se surpreenda. De acordo com a página do software, o nome foi inspirado na planta Yerba maté ou Erva-mate, que é consumida como chá (quente ou gelado) aqui no Brasil e países vizinhos.



O nome “MATE”, pronunciada Ma-Tay, vem de erva-mate, uma espécie de azevinho nativa da região subtropical da América do Sul. Suas folhas contêm cafeína e são usados para fazer infusões e uma bebida chamada mate.

220px-Ilex_paraguariensis_-_Köhler–s_Medizinal-Pflanzen-074

Conheça melhor o ambiente Mate

Para saber mais sobre o ambiente Mate, clique nesse link.
Para saber mais sobre essa versão, acesse a nota de lançamento.
O procedimento a seguir foi testado em um Ubuntu 15.04, mas pode funcionar em versões anteriores. Se você testar, por favor, comente para que os leitores saibam.

Como instalar o ambiente Mate 1.10 no Ubuntu 15.04 e seus derivados

Para instalar o ambiente Mate no Ubuntu e ainda poder receber automaticamente as futuras atualizações dele, você deve fazer o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal (no Unity use as teclas CTRL + ALT + T);
Passo 2. Se ainda não tiver, adicione o repositório do programa com este comando:

sudo apt-add-repository ppa:ubuntu-mate-dev/ppa -y

Passo 3. Atualize o gerenciador de pacotes com o comando:

sudo apt-get update

Passo 4. Para fazer a instalação mínima do ambiente de trabalho MATE, use o seguinte comando;

sudo apt-get install mate-desktop-environment-core

Passo 5. Para fazer a instalação completa do ambiente de trabalho MATE, use o seguinte comando;

sudo apt-get install mate-desktop-environment

Passo 6. Para fazer a instalação completa do ambiente de trabalho MATE com mais alguns extras, use o comando abaixo;

sudo apt-get install mate-desktop-environment-extras

Pronto! Assim que a instalação estiver concluída, saia da sua sessão atual do Ubuntu. A partir daqui, clique no ícone que fica no canto superior direito da tela de login Ubuntu. Você será apresentado a uma tela com todas as opções de ambientes de desktop atualmente instalados. A mais recente adição a esta lista será o MATE. Clique nesta opção, e selecione “OK” para que seja solicitado suas credenciais de login.

Desinstalando o ambiente Mate no Ubuntu e derivados

Para desinstalar o ambiente Mate no Ubuntu e derivados, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Desinstale o ambiente Mate, usando os comandos abaixo;

sudo apt-get remove mate-desktop-environment
sudo apt-add-repository -r ppa:ubuntu-mate-dev/ppa
sudo apt-get autoremove
sudo apt-get update

Via LinuxGeek

O que está sendo falado no blog hoje


Não está aparecendo algo?

Este post é melhor visualizado acessando direto da fonte. Para isso, clique nesse link.

[bjd-responsive-iframe src=”http://www.edivaldobrito.com.br/quer-mais-informacoes-e-dicas.html” scrolling=”yes”]

Edivaldo

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande de fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Website: http://www.edivaldobrito.com.br



blog comments powered by Disqus