Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente

Está cansado dos mesmos navegadores e de acessar a Internet sempre do mesmo jeito? Então instale o navegador PolyBrowser no Linux e melhore sua experiência de navegação.


PolyBrowser é mais um navegador de Internet baseado no motor Gecko, o mesmo motor usado pelo Firefox e Pale Moon.

Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente
Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente

O navegador se concentra em trabalhar com várias páginas da web de uma só vez, por isso, a característica mais marcante dele é a capacidade de aumentar ou diminuir o zoom de páginas web, para que o usuário possa monitorar mais sites de uma só vez.

Claro, o recurso de zoom pode ser bastante útil quando usada em telas grandes. Além disso, o programa exibe várias páginas da Web em uma visualização panorâmica.

Para ter uma ideia melhor dos recursos desse navegador, veja as animações abaixo:
Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente

Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente

Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux manualmente
A última versão disponível do PolyBrowser, traz as seguintes novidades:

  • Addons mais populares, incluindo o LastPass, Firebug e Evernote;
  • Interface do usuário e velocidade de rolagem mais rápida;
  • Maior suporte ao padrão HTTP/2;
  • Diversas correções e melhorias.

Conheça melhor o navegador PolyBrowser

Para saber mais sobre esse programa, clique nesse link.

Como instalar o navegador PolyBrowser no Linux

Para instalar o navegador PolyBrowser no Linux, faça o seguinte:
Passo 1. Abra um terminal;
Passo 2. Caso já tenha feito alguma instalação manual, apague a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/polybrowser*
sudo rm -Rf /usr/bin/polybrowser
sudo rm -Rf /usr/share/applications/polybrowser.desktop

Passo 3. Confira se o seu sistema é de 64 bits, para isso, use o seguinte comando no terminal:

uname -m

Passo 4. Se seu sistema é de 64 bits, acesse essa página, baixe a última versão e salve-o com o nome polybrowser.tar.gz:
Passo 5. Use o comando a seguir para descompactar o arquivo baixado;

sudo tar -vzxf polybrowser.tar.gz -C /opt/

Passo 6. Renomeie a pasta criada (se ao executar o comando abaixo ocorrer um erro com a mensagem iniciando com “mv: é impossível sobrescrever o não-diretório”, pule este passo);

sudo mv /opt/polybrowser*/ /opt/polybrowser

Passo 7. Finalmente, crie um atalho para facilitar a execução do programa;

sudo ln -sf /opt/polybrowser/polybrowser /usr/bin/polybrowser

Passo 8. Se seu ambiente gráfico atual suportar, crie um lançador para o programa, executando o comando abaixo;

echo -e '[Desktop Entry]\n Version=1.0\n Name=polybrowser\n Exec=/opt/polybrowser/polybrowser %U\n Icon=/opt/polybrowser/icons/polybrowser-128.png\n Type=Application\n Categories=Application' | sudo tee /usr/share/applications/polybrowser.desktop

Pronto! Agora, quando quiser iniciar o programa, digite polybrowser no Dash (ou em um terminal, seguido da tecla TAB).

Já se a sua distribuição suportar, coloque o atalho na sua área de trabalho usando o de arquivos do sistema ou o comando abaixo, e use-o para iniciar o programa.

sudo chmod +x /usr/share/applications/polybrowser.desktop
cp /usr/share/applications/programa.desktop  ~/Área\ de\ Trabalho/

Se seu sistema estiver em inglês, use este comando para copiar o atalho para sua área de trabalho:

cp /usr/share/applications/polybrowser.desktop ~/Desktop

Para mais detalhes sobre essa tarefa, consulte esse tutorial:
Como adicionar atalhos de aplicativos na área de trabalho do Unity

Se quiser, você também pode usar o gerenciador de arquivos do sistema para executar o programa, apenas abrindo a pasta dele e clicando em seu executável.

Como remover o programa no Linux

Para remover o programa no Linux, basta apagar a pasta, o link e o atalho anterior com esse comando;

sudo rm -Rf /opt/polybrowser*
sudo rm -Rf /usr/bin/polybrowser
sudo rm -Rf /usr/share/applications/polybrowser.desktop

O que está sendo falado no blog nos últimos dias




blog comments powered by Disqus