Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C

Entenda porque para muitos programadores e desenvolvedores os aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C.

Rust é uma linguagem de programação compilada, de uso geral e multiparadigma, seu objetivo é ser uma boa linguagem para a criação de grandes programas do lado do cliente e do servidor que rodam na Internet.

Isso levou a um conjunto de recursos com ênfase em segurança, controle de alocação de memória e simultaneidade.

Além do código seguro, espera-se que o desempenho do código seja mais lento do que C++, se o desempenho for a única consideração, mas quando comparado ao código C++ feito para tomar precauções comparáveis ​​ao Rust, este último pode até ser mais rápido.

Aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C

Aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C
Aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C

E não é surpreendente que neste ponto muitos programadores e desenvolvedores estejam começando a se voltar para o Rust e é que até mesmo vários desenvolvedores do Kernel do Linux expressaram seu interesse em poder migrar o Kernel para esta linguagem e até mesmo o próprio Linus Torvalds fez bons comentários sobre Rust.

Tomando esta opinião de observadores informados, parece que este é o futuro da programação do sistema, em vez da linguagem C.

Na verdade, os especialistas dizem que ele oferece melhores garantias de segurança de software do que o par C/C +, com benchmarks recentes até sugerindo que os aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes C.

Linguagens de programação competem por vários motivos, incluindo mapeamento de árvore binária (e desalocação) e exibição de conjunto de Mandelbrot em um Intel i5-3330 quad-core com clock de 3 gigahertz e equipado com quase 16 GB de RAM.

Os benchmarks revelam apenas números comparativos para as versões mais rápidas de programas para um determinado par de idiomas. Os códigos-fonte para estes estão disponíveis no caso do par Rust/C para o benchmark Mandelbrot:
Aplicativos Rust são mais rápidos do que seus equivalentes em C
A explicação para o crescente interesse das partes interessadas no setor de programação de sistemas baseia-se neste tipo de observação.

No terceiro trimestre de 2019, já estávamos falando sobre a possível entrada no kernel do Linux de um framework para configuração de drivers na linguagem de programação Rust.

Desde o ano passado, a comunidade Linux tem pensado em como integrar o suporte à linguagem Mozilla Research no sistema de construção.

“Precisamos ter a mesma abordagem de suporte que os compiladores e verificar a disponibilidade de vários sinalizadores de compilação no estágio de configuração”, disse Linus.

O ponto com a linguagem Rust é que ela ganhou o reconhecimento como “mais amada” por desenvolvedores acostumados com a plataforma de perguntas e respostas em tópicos relacionados a TI: StackOverflow.

Ao final da edição 2019 de sua pesquisa, que mobilizou cerca de 90 mil trabalhadores do setor de programação de computadores, a linguagem respondia por 83,5% dos retornos positivos.

Portanto, quase 75.000 desenvolvedores nesta pesquisa Stack Overflow indicaram que usam a linguagem Rust e continuarão a usá-la; ou seja, desenvolvedores que, após alguns experimentos com a linguagem, se apaixonaram por ela.

Esta é mais uma pesquisa realizada desta vez pela equipe de desenvolvimento da linguagem e publicada no primeiro trimestre do ano anterior, esclarecendo o fato de que a linguagem ainda é usada principalmente para projetos pessoais. Principal motivo: falta de adoção pelas empresas.

Posteriormente, a situação está mudando, à medida que a linguagem começa a se beneficiar do apoio de players da indústria de informática e não menos importante.

Até o momento, há uma projeção de linguagem Rust para APIs do Windows Runtime. Este é um anúncio da Microsoft que apareceu em maio do ano anterior.

Desta forma, o Rust une o C++ com a biblioteca Rust/WinRT, abrindo a capacidade dos desenvolvedores do Rust de configurar componentes e drivers para o Windows.
Fonte dos benchmarks

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.