Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Apple concordou em pagar até U$$ 500 milhões por desacelerar iPhones

Depois de sofre muita pressão nos tribunais a Apple concordou em pagar até U$$ 500 milhões por desacelerar iPhones. Confira os detalhes desse perrengue!

A Apple enfrentou críticas quando os usuários pegaram a empresa desacelerando os iPhones mais antigos. A empresa alegou que era para fins benéficos, enquanto os usuários alegaram que a empresa os pressionou para atualizar.

Apple concordou em pagar até U$$ 500 milhões por desacelerar iPhones
Apple concordou em pagar até U$$ 500 milhões por desacelerar iPhones

Não é novidade que a Apple distribuiu atualizações que desaceleraram os modelos mais antigos do iPhone, mas podemos finalmente ver uma conclusão para o desastre. Mas, qualquer que fosse o motivo, a Apple agora deve pagar até U$$ 500 milhões, incluindo o pagamento de U$$ 25 a proprietários de iPhone mais antigos.

Apple concordou em pagar até U$$ 500 milhões por desacelerar iPhones

Sim. Embora o caso ainda não tenha sido totalmente aprovado, a Apple concordou em pagar uma multa de U$$ 500 milhões por desacelerar seus modelos mais antigos de iPhones.

A Apple está sob pressão legal depois que deliberadamente que reduziu o desempenho do iPhone 6, 6+, 6s, 6s+, 7, 7+ e SE com uma atualização.

Isso veio à tona quando os usuários notaram uma queda no desempenho após a atualização do sistema. Em resposta, a Apple afirmou que diminuiu a velocidade dos telefones para preservar a bateria.

Acontece que à medida que a bateria do telefone envelhece, o sistema operacional reduz a potência de processamento para evitar problemas como desligamentos repentinos.

Os consumidores, no entanto, não estavam convencidos. Devido à natureza sorrateira dessa atualização lenta, muitos acreditam que a Apple desacelerou modelos mais antigos para incentivar os usuários a comprar novas baterias ou atualizar seus telefones para o modelo mais novo.

Obviamente que isso foi algo que a Apple negou. No processo judicial, alegaram que suas ações não eram maliciosas.
 
Se a atualização foi feita para beneficiar o público ou se era um esquema para levar as pessoas a atualizarem seus telefones, o processo judicial resolveu uma falha. Devido ao fato de a Apple permanecer calada sobre a limitação, ela levou as pessoas a comprar telefones novos, acreditando que o antigo estava chegando ao fim de sua vida.

E na realidade, os usuários só precisavam adquirir uma bateria nova para reduzir a aceleração.

Os usuários declararam que, se soubessem desse recurso desde o início, não teriam comprado o telefone em primeiro lugar. Como tal, independentemente das verdadeiras intenções da Apple, sua natureza secreta os levou a um processo judicial.

Desde então, a Apple tentou corrigir o problema baixando os preços das baterias de U$$ 79 para U$$ 29, além de oferecer uma maneira de desativar a limitação. Apesar disso, a Apple ainda enfrentava problemas legais e decidiu se estabelecer para evitar litígios.

O que a Apple fará agora?

Agora que a Apple se estabeleceu, ela tem que pagar. Os membros nomeados no caso receberão U$$ 1500-3000, e os advogados receberão cerca de U$$ 90 milhões. Qualquer pessoa que possua ou possua um iPhone 6, 6+, 6s, 6s +, 7, 7+ ou SE pode reivindicar U$$ 25 da Apple.

O tribunal declarou que a Apple deve pagar um mínimo de U$$ 310 milhões. Portanto, se apenas alguns proprietários reivindicarem seu dinheiro, os outros membros do caso poderão receber mais. Por outro lado, a multa tem um máximo de U$$ 500 milhões, o que reduzirá os proprietários dos pagamentos, se excedidos.
 
Atualmente, não está claro como os usuários receberão U$$ 25. Se você é ou já foi o proprietário de um dos telefones mencionados, vale a pena tentar encontrar um comprovante de compra para fazer sua reivindicação, se necessário.

Você possuía um iPhone mais antigo que foi afetado? Deixe sua opinião nos comentários!

O que está sendo falado no blog

Post Views: 5
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.