Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

BunsenLabs Lithium lançado com base no Debian Buster

Depois de dois anos de desenvolvimento, finalmente foi lançado o BunsenLabs Lithium com base no Debian Buster. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

BunsenLabs Linux é uma distribuição baseada no Debian que apresenta o gerenciador de janelas Openbox como a interface gráfica de usuário padrão.

Em resumo, BunsenLabs Linux é uma distribuição que oferece uma área de trabalho leve e facilmente personalizável, usando o gerenciador de janelas Openbox.

Essa distribuição é derivada do Debian e o projeto é uma continuação da comunidade CrunchBang Linux. O sistema vem com o gerenciador de janelas Openbox pré-configurado com painel tint2 e monitor do sistema conky.

Ele traz uma variedade de temas de harmonização GTK2/3, papéis de parede e configurações conky, além de vários utilitários de configuração e aplicação para a manutenção do sistema.

Pacotes adicionais de desktop, multimídia e hardware vêm pré-instalados para oferecer uma melhor experiência “out-of-the-box” (como está, sem precisar instalar nenhum adicional).

Agora, Depois de mais de dois anos em desenvolvimento, o lançamento do BunsenLabs Linux Lithium finalmente alcançou o canal estável.

E com isso, a equipe BunsenLabs anunciou o lançamento oficial do BunsenLabs Lithium, um novo grande lançamento baseado na mais recente série de sistemas operacionais Debian Buster.

Novidades do BunsenLabs Lithium

BunsenLabs Lithium lançado com base no Debian Buster
BunsenLabs Lithium lançado com base no Debian Buster

BunsenLabs Linux Lithium possui muitos itens, incluindo a capacidade de instalar a distribuição em computadores mais novos que usam o Secure Boot, uma nova aparência com um novo tema escuro com ícones Papirus coloridos por padrão e mais modularidade para o usuário personalizar completamente a distribuição de acordo com suas necessidades.

Por exemplo, os usuários agora podem substituir o gerenciador de janelas Openbox padrão por outro ambiente de área de trabalho e manter muitas das configurações, como item de menu, vinculação de teclas e aplicativos iniciados automaticamente.

Além disso, a sessão do BunsenLabs agora usa o jgmenu por padrão e pode coexistir com as sessões padrão do Openbox ou do Xfce.

Também novo nesta versão, há um novo script bl-exit simplificado e independente do init, o programa de saída padrão, um novo script bl-user-setup que facilita a atualização dos arquivos de configuração do usuário, bem como um novo script localechooser isso pode ser útil para alterar o idioma do sistema quando você não estiver usando o LightDM GTK Greeter.

Outras mudanças dignas de nota incluem impressão aprimorada sem driver IPP, gerenciador de temas BLOB aprimorado, melhores combinações de teclas para o recurso de janela do Openbox, suporte a Bluetooth e outros aprimoramentos no script de boas-vindas da primeira inicialização, além de melhorias no monitor do sistema Conky e no painel Tint2.

A seleção de software padrão também sofreu algumas alterações. Por exemplo, o emulador de terminal Terminator foi substituído pelo LXTerminal, o visualizador de imagens do Mirage agora é usado em vez do Ristretto, o LibreOffice Calc substitui o popular editor de planilhas Gnumeric e as ferramentas wireless-tools, inxi e lshw foram adicionadas.

Se você gosta de distribuições leves e deseja usar o Debian com o Openbox, vai adorar o BunsenLabs Linux Lithium e os muitos ajustes que ele inclui.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o BunsenLabs Lithium

A versão BunsenLabs Linux Lithium está disponível para download agora no site oficial, como um ISO live de 64 bits e uma versão não-PAE mínima de 32 bits, com tamanho de CD, que pode ser estendido para o tamanho normal, instalando os metapacotes bunsen-meta-all ou bunsen-meta-lite.

A imagem ISO do BunsenLabs Lithium já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.