Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança

O governo Canadense anunciou que o Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança, seguindo os passos de outros países.

O governo do Canadá anunciou sua intenção de proibir o uso de equipamentos e serviços de telecomunicações da Huawei e ZTE nas redes 5G e 4G do país.

Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança

Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança
Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança

A declaração explica que, após uma revisão completa das agências de segurança independentes do Canadá, as duas empresas de tecnologia chinesas foram consideradas um risco de segurança muito grande para serem permitidas na rede de telecomunicações do país.

“Hoje, o governo do Canadá está garantindo a segurança de longo prazo de nossa infraestrutura de telecomunicações. Como parte disso, o governo pretende proibir a inclusão de produtos e serviços da Huawei e ZTE nos sistemas de telecomunicações do Canadá”, diz o anúncio.

A declaração de política explica que:

“O governo do Canadá tem sérias preocupações com fornecedores como Huawei e ZTE, que podem ser obrigados a cumprir instruções extrajudiciais de governos estrangeiros de maneiras que entrariam em conflito com as leis canadenses ou seriam prejudiciais aos interesses canadenses.”

Como resultado dessa decisão, os provedores de serviços de telecomunicações no Canadá não poderão mais usar equipamentos ou serviços das duas empresas. Os equipamentos Huawei e ZTE existentes devem ser removidos de suas redes.

Mais especificamente, os equipamentos 5G existentes da Huawei e ZTE terão que ser removidos até 28 de junho de 2024, enquanto os equipamentos 4G foram entregues até 31 de dezembro de 2027.

Além disso, a aquisição de novos equipamentos e serviços das duas empresas deve ser encerrada por 1 de setembro de 2022.

Esse movimento segue decisões semelhantes dos Estados Unidos, Reino Unido, Austrália, Nova Zelândia e Japão, todos aliados próximos do Canadá.

Na Europa, Alemanha, França, Bélgica, Dinamarca e Suécia já expressaram preocupação com a segurança de equipamentos de telecomunicações vindos da Huawei e ZTE, e todos estão considerando proibições semelhantes.

Esses países, e mais notavelmente os EUA, acusaram a Huawei e a ZTE de propriedade intelectual e roubo de pesquisa e desenvolvimento, backdoors em equipamentos de telecomunicações, espionagem e violação das sanções dos EUA ao Irã.

As empresas chinesas negaram tudo o que foi dito acima. No entanto, eles não conseguiram reverter as decisões políticas contra eles, resultando em uma queda repentina e dramática na receita de projetos de infraestrutura de rede.

Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança
Canadá banirá Huawei e ZTE de redes 5G por questões de segurança – Países que baniram a Huawei (Statista)

A implantação das redes 5G no Canadá começou em fevereiro de 2019, envolvendo a Huawei na época como um dos parceiros tecnológicos estratégicos.

Quando os EUA abriram uma acusação de “roubo de segredos comerciais” em agosto de 2019 contra a CFO da Huawei, Meng Wanzhou (que também é filha do fundador e CEO da empresa), ficou claro que continuar os negócios com a empresa chinesa seria complicado para o Canadá.

Em setembro de 2020, o Canadá ajustou os regulamentos para remover as provisões de compensação para provedores de telecomunicações no caso de proibições de equipamentos do governo federal, que foram projetadas para custar cerca de US$ 760.000.000.

No entanto, a proibição de Huawei e ZTE não pôde ser implementada na época devido a complicações políticas decorrentes da presença de Meng no país.

Meng foi preso no aeroporto internacional de Vancouver em dezembro de 2018, criando uma cisão entre o Canadá e a China. Simultaneamente, um pedido de extradição do Departamento de Justiça dos EUA tornou as coisas ainda mais complicadas.

Após várias rodadas de negociações, as partes chegaram a uma resolução em 24 de setembro de 2021, que permitiu que o CFO da Huawei voltasse à China depois de passar 1.000 dias em prisão domiciliar em Vancouver.

Isso acabou abrindo caminho para o plano que o Canadá claramente queria implementar e havia discutido abertamente tantas vezes no passado recente. Como resultado desse desenvolvimento, espera-se que as relações entre os dois países voltem a afundar.

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.