Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

cmus, um tocador de música de linha de comando leve e bonito

Conheça o cmus, um tocador de música de linha de comando para quem prefere algo leve a algo bonito, e que funciona em qualquer distro.

Não faltam tocadores de música para Linux, você só precisa procurar por “player” neste blog para obter muitos resultados.

No Linux temos aqueles para diferentes projetos, como GNOME (Música) ou KDE (Elisa), entre outros, mas também aqueles projetados para seus desktops como Lollypop para GNOME.

Muitos deles possuem uma boa interface de usuário, algo que o cmus não possui porque funciona na linha de comando (CLI).

cmus, um tocador de música de linha de comando leve e bonito

cmus, um tocador de música de linha de comando leve e bonito
cmus, um tocador de música de linha de comando leve e bonito

Por ser focado na linhs de comando, a primeira pergunta que vem a cabeça dos usuários é: Vale a pena esse player?

Como diz a música, depende. O que você está procurando? Se procuramos uma boa biblioteca com capas visíveis, cmus não é o que procuramos.

Se o que queremos é algo com empate, nenhum dos dois, mas muitos outros players não têm.

A coisa muda quando o que queremos é tocar nossa música apenas com algo que não consuma recursos, nesse caso estamos interessados ​​em algo como cmus.

O nome cmus vem do C * Music Player. É leve, não toca em nada em nossos arquivos de áudio, tem uma interface limpa e podemos controlar tudo com o teclado.

É um pacote muito pequeno que está disponível nos repositórios oficiais das diferentes distribuições Linux, portanto sua instalação é tão simples quanto procurá-lo em uma loja de software ou escrever um comando que dependerá de nosso gerenciador de pacotes.

Uma vez instalado, o lançaremos em um terminal digitando “cmus” sem as aspas. Nesse momento, entraremos em seu navegador para adicionar a música.

Para fazer isso, navegaremos até uma pasta e pressionaremos a tecla A para adicionar. E desde que começamos a falar sobre chaves, o resto são:
V: Pare.
B: Próxima faixa.
Z: Faixa anterior.
C: pausa.
S: ativa a reprodução aleatória (“shuffle” em inglês).
M: Ative os diferentes modos de reprodução aleatória alternando entre artistas, álbuns e tudo. Em inglês, é o modo “aaa” porque “all” é “all”. Se tivermos o modo “Artista” definido, ele reproduzirá aleatoriamente apenas o desse artista e assim por diante para os álbuns ou toda a biblioteca.
X: reinicie a faixa.
I: Volte para a faixa e o disco do que está sendo reproduzido. Ou seja, se estivermos nos movendo pela biblioteca, a tecla I retornará à reprodução. É mais ou menos igual às outras, a visualização “Em execução”.
/: Olhe para. Pressionamos a tecla e começamos a escrever. É instantâneo.
Símbolo de menos (-): Reduz o volume em 10%.
Símbolo de mais (+): Aumenta o volume em 10%.

É claro que cmus não é um player para todos os públicos, mas é algo que definitivamente vale a pena em computadores de poucos recursos.

E se você estiver interessado nesse software, você tem mais informações na página do projeto.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.