Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Collabora diz que adicionou decodificação MPEG-2 ao kernel 5.3

Em um artigo em seu blog, a Collabora diz que adicionou decodificação MPEG-2 ao kernel 5.3. Confira essa e outras contribuições importantes dessa empresa.

Anunciada oficialmente por Linus Torvalds em 15 de setembro, a série de kernel 5.3 apresenta vários novos recursos e aprimoramentos, entre os quais podemos mencionar o suporte para GPUs AMD Radeon Navi, suporte para processadores Zhaoxin x86, suporte para o mecanismo de fixação de utilização em CPUs de potência assimétrica , bem como o suporte ao Intel Speed ​​Select.

Collabora diz que adicionou decodificação MPEG-2 ao kernel 5.3

Ele também adiciona suporte para o hipervisor incorporado leve e flexível do ACRN, suporte para 16 milhões de novos endereços IPv4 na faixa 0.0.0.0/8, suporte para as instruções umwait x86, uma nova chamada do sistema pidfd_open (2) que permite o manuseio da reutilização do PID problemas nos gerentes de serviço e vários drivers novos e atualizados para melhor suporte de hardware.

E com o lançamento da série de kernel Linux 5.3, é hora de dar uma olhada nas contribuições feitas pela equipe de desenvolvimento de kernel da Collabora durante este ciclo.

Collabora adicionou decodificação MPEG-2 ao kernel 5.3, e outras alterações

Como de costume, a Collabora mostra suas contribuições para a versão mais recente do kernel Linux em um post do blog em que afirma que 77 commits foram criados pela equipe de desenvolvimento do kernel do Collabora e mesclados no kernel 5.3 do Linux.

As contribuições mais importantes são a adição de decodificação MPEG-2 no driver Hantro VPU.

Boris Brezillon explica que:

“Pode-se pensar que adicionar suporte à decodificação MPEG-2 não é, por si só, um recurso particularmente interessante (quem usa MPEG2 atualmente ?!), mas, ao fazer isso, introduzimos os blocos de construção comuns que nos permitirão suportar outros codecs como H .264 ou VP8.”


Eles também adicionaram suporte a CODA 980 no driver CODA VPU, contadores de desempenho expostos nas GPUs Mali Midgard, adicionaram o driver Panfrost aos defconfigs padrão ARMv7 e ARM64, pesquisas otimizadas que não diferenciam maiúsculas de minúsculas em EXT4, suporte aprimorado a Motorola Droid 4 e suporte melhorado a vários Plataformas Chrome.

Além dos 77 commits de autoria mesclados no kernel Linux 5.3, a equipe de desenvolvimento de kernel da Collabora também contribuiu com 68 patches revisados, 35 aceitos, 5 testados e 50 não assinados. Mais detalhes sobre as contribuições de Collabora para o kernel 5.3 do Linux estão disponíveis aqui.

Realmente, não dá pra ignorar tantas contribuições. Claro que muitas outras pessoas e empresas também fazem isso. O caso da Collabora, entretanto, serve como um estudo de caso pra mostrar como empresas podem contribuir ativamente na evolução do Linux.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.