Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Driver aberto da Panfrost recebeu suporte experimental ao OpenGL ES 3.0

A Collabora anunciou que o Driver aberto da Panfrost recebeu suporte experimental ao OpenGL ES 3.0. Confira os detalhes dessa importante novidade.

O kernel do Linux tem sido desenvolvido por diversos colaboradores em todo o mundo e mantido por Linus Torvalds, com o apoio da Linux Foundation. No meio desses desenvolvedores, muitos são pessoas comuns, outros são membros ativos de grupos entusiastas de software livre, e tem até funcionários de empresas de tecnologia (sendo alguns de grandes players do mercado).

Driver aberto da Panfrost recebeu suporte experimental ao OpenGL ES 3.0
Driver aberto da Panfrost recebeu suporte experimental ao OpenGL ES 3.0

Um bom exemplo desse último tipo são os funcionários da Collabora, uma empresa de consultoria especializada em entregar os benefícios do software Open Source para o mundo comercial.

Agora, a Collabora anunciou que o driver de gráficos livres e de código aberto Panfrost para as GPUs do Mali acabou de receber o suporte inicial ao OpenGL ES 3.0 na pilha de gráficos upstream do Mesa.

Driver aberto da Panfrost recebeu suporte experimental ao OpenGL ES 3.0

Isso é uma ótima notícia para os usuários do Linux, especialmente os jogadores. Embora muitos aplicativos e jogos em 3D tenham suporte básico ao OpenGL ES 2.0, para tarefas avançadas de renderização, é necessário o OpenGL ES 3.0 mais recente, e o Panfrost agora o suporta.

Como esperado, o OpenGL ES 3.0 é muito mais poderoso do que o seu antecessor, adicionando novos recursos como texturas 3D, renderização instanciada, vários destinos de renderização nas GPUs Mali T760 e reinicialização primitiva mais alta, além de objetos de buffer uniformes.

Todas essas vantagens permitem uma renderização mais rápida e realista, disse Collabora. Os desenvolvedores podem usar recursos como renderização instanciada e reinicialização primitiva para codificar aplicativos gráficos mais rápidos e renderizar cenas complexas com mais eficiência.

Por outro lado, os desenvolvedores podem usar textura 3D e objetos de buffer uniformes para criar sombreadores gráficos eficientes para aplicativos mais complexos e rápidos, e vários destinos de renderização permitem que eles usem técnicas modernas de renderização, como sombreamento adiado.

Sobre o novo suporte, a Collabora disse o seguinte:

“Ao adicionar esses recursos e muito mais ao Panfrost, jogos como o SuperTuxKart agora trabalham com seus renderizadores modernos preferidos, por exemplo, usando instanciamento para sistemas de partículas e novas operações de texturização para adicionar sombras. O renderizador não diferido ES 3.0 do SuperTuxKart agora funciona com o Panfrost, então pegue o código mais recente e tente.”

Embora o suporte ao OpenGL ES 3.0 da Panfrost seja experimental, os desenvolvedores e os usuários são convidados a experimentá-lo agora, compilando a pilha de gráficos Mesa 20.0 mais recente e definindo a variável de ambiente PAN_MESA_DEBUG=gles3. Ele também suporta o mainline Linux kernel.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.