Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Facebook irá enfrentar ações antitruste por compra do WhatsApp e Instagram

Segundo o Washington Post, o Facebook irá enfrentar ações antitruste por compra do WhatsApp e Instagram. Confira os detalhes dessas iniciativas.

Facebook, Inc. é uma empresa americana que, anteriormente era apenas a dona da maior rede social da atualidade, fato que mudou com a aquisição de outras redes.

Agora, de acordo com o Washington Post, o Facebook irá enfrentar mudanças antitruste de vários estados dos EUA e do governo federal com a aquisição do WhatsApp e do Instagram.

Facebook irá enfrentar ações antitruste por compra do WhatsApp e Instagram

Facebook irá enfrentar ações antitruste por compra do WhatsApp e Instagram
Facebook irá enfrentar ações antitruste por compra do WhatsApp e Instagram

Para quem não sabe, o Facebook gastou US$ 1 bilhão em 2012 para adquirir o Instagram e incríveis US$ 19 bilhões dois anos depois para adquirir o WhatsApp.

O Washington Post observa que o Facebook originalmente prometeu preservar a independência da plataforma e fortes proteções de privacidade, o que deixou os reguladores à vontade na época.

No entanto, a empresa posteriormente mudou seu curso e decidiu integrar os dados de usuário das duas plataformas com o Facebook.

De acordo com pessoas familiarizadas com o assunto, as sondagens sobre as aquisições já estão em fase final, e agora os investigadores estão observando como o WhatsApp e o Instagram mudaram ao longo dos anos após as grandes aquisições.

Os vigilantes antitruste também estão considerando abrir processos judiciais sobre o fato de que os negócios deixaram o espaço das redes sociais sem concorrência.

Além disso, o WhatsApp e o Instagram agora oferecem menos proteção à privacidade do que teriam se permanecessem independentes.

Washington relata que os investigadores também estão investigando como o Facebook gerencia os dados dos usuários, olhando especificamente para as políticas que o cercam e quanto deles podem ser acessados ​​por desenvolvedores e outras empresas.

Com base em suas negociações e políticas, os investigadores apresentarão queixas argumentando que o Facebook transformou seus ativos mais valiosos em uma arma de uma forma que expulsou os rivais da competição, disseram as fontes.

Por enquanto, a investigação ainda está em andamento e nenhuma ação judicial, seja estadual ou federal, foi encerrada. No entanto, fontes disseram que mais de 40 estados estão a bordo com a ideia de abrir um processo antitruste contra o Facebook.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.