Flatpak 1.4 lançado – Confira as novidades e atualize seu sistema

Confira todas as novidades do Flatpak 1.4 e atualize seu sistema!

Alexander Larsson, da Red Hat, anunciou a nova atualização do Flatpak, o Flatpak 1.4. Confira todas as novidades desse update e atualize seu sistema.

Flatpak é um sistema de pacotes independentes que não estão vinculados a distribuições específicas do Linux e executados em um contêiner especial que isola o aplicativo do resto do sistema.

O Flatpak pode simplificar a distribuição de programas que não fazem parte dos repositórios de distribuição padrão ao preparar um contêiner universal sem gerar conjuntos separados para cada distribuição.

Flatpak 1.4 lançado - Confira as novidades e atualize seu sistema
Flatpak 1.4 lançado – Confira as novidades e atualize seu sistema

Para os usuários que se preocupam com a segurança, o Flatpak permite que você execute um aplicativo em um contêiner, fornecendo acesso apenas a funções de rede e arquivos de usuário associados ao aplicativo.

É fornecido suporte para executar pacotes Flatpak para Arch Linux, CentOS, Debian, Fedora, Gentoo, Mageia, Linux Mint e Ubuntu.
 
Pacotes com Flatpak são incluídos no repositório do Fedora e são mantidos no programa de gerenciamento de aplicativos Gnome.

Novidades do Flatpak 1.4

No Flatpak 1.4 a configuração da organização dos repositórios externos foi modificada. No diretório /etc/flatpak/remotes.d, em vez das configurações *.conf, agora o arquivo usual “.flatpakrepo” que são automaticamente importados quando você usa o Flatpak usado pela primeira vez.

Esses arquivos podem ser editados e excluídos livremente, por analogia com repositórios adicionados manualmente.

Além das notícias que podem ser destacadas, o que mudou significativamente foi a organização das instalações disponíveis para todos os pacotes no sistema.

Nas versões anteriores, o pacote era instalado primeiro em um diretório temporário de propriedade do usuário, e o empréstimo era chamado de processo auxiliar do sistema para ser importado desse diretório para o sistema.

Essa abordagem levou a um grande gasto de recursos de disco, E/S desnecessárias e possíveis problemas de segurança.

Na nova versão, um sistema especial de arquivos FUSE é usado para instalar os pacotes do sistema, nos quais o usuário pode gravar dados, mas após o término da gravação, o acesso aos arquivos gravados para o usuário é bloqueado. Uma nova abordagem implica a necessidade de estabelecer um flatpak para um usuário individual (“flatpak” por padrão) e alterar as regras do SELinux.

Por outro lado, a capacidade de definir no lado do cliente do sistema de filtragem para repositórios externos foi adicionada.

Usando filtros, você pode restringir os aplicativos visíveis no repositório usando o modelo de lista branca e negra.

Nesta versão, também se destaca a chegada de uma API de biblioteca para adicionar repositórios externos a partir de arquivos flatpakref.

Outra mudança importante nesta nova versão é que o suporte foi adicionado para sistemas com várias placas de vídeo NVIDIA e a velocidade de regeneração das ramificações do Appstream para grandes repositórios foi significativamente aumentada.

Atualizado para a integração com serviços de ambientes gráficos: xdg-desktop-portal e-xdg-de desktop portal-gtk, que foram adicionados novos portais para execução automática, a execução do programa em segundo plano, o acesso GameMode.

Das outras mudanças que estão nesta nova versão do Flatpak 1.4.0, destacam-se:

  • Um novo perfil seccomp para o Docker, que permite que você execute flatpak dentro de contêineres.
  • Melhor capacidade de instalação a partir de múltiplas fontes P2P (via drives USB ou LAN).
  • O comando “flatpak remote-ls” fornece filtragem automática de aplicativos para os quais o tempo de rastreamento expirou.
  • Em “flatpak remote-ls” e “flatpak remote-info”, a opção “-cached” é implementada para retornar informações com base em dados armazenados localmente em cache.
  • Adicionada a capacidade de especificar uma versão de transição da qual os clientes serão solicitados a mudar para uma nova ramificação (em vez da atual, que expirou).
  • A opção “-socket = pcsc” foi adicionada para obter acesso aos cartões inteligentes.
  • Suporte implementado para o dconf colocado em um ambiente de sandbox.
  • As opções “-no-update- [summary, appstream]” e “-static-delta-ignore-ref = PATTERN” são adicionadas ao comando build-update-repo.

Para saber mais sobre essa versão do Flatpak, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o Flatpak 1.4

Flatpak 1.4 me breve estará disponível como uma atualização de sistema na sua distro favorita, aí bastará fazer a atualização.

E se você ainda não tem o recurso no seu sistema, para instalar a versão mais recente do Flatpak nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o suporte a Flatpak no Linux

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…