Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Huawei lançou um laptop Linux com o processador ARM Kirin 990

Seguindo o mesmo caminho da Apple para diminuir a dependência da dupla Intel/AMD a Huawei lançou um laptop Linux com o processador ARM Kirin 990.

Nos últimos anos, a empresa chinesa de eletrônicos tem reduzido sua dependência de tecnologia de outros países em resposta às restrições comerciais impostas pelos Estados Unidos.

Isso significou desenvolver uma alternativa Android caseira para smartphones (embora seja amplamente baseada no Android até agora).

Agora a Huawei lançou seu primeiro laptop que não possui um chip Intel ou AMD. O Huawei Qingyun L410 é movido pelo próprio processador Kirin 990 de Huwaei, um chip baseado em ARM que foi inicialmente desenvolvido para smartphones e tablets.

Huawei lançou um laptop Linux com o processador ARM Kirin 990

Huawei lançou um laptop Linux com o processador ARM Kirin 990
Huawei lançou um laptop Linux com o processador ARM Kirin 990

Laptops com processadores baseados em ARM se tornaram mais comuns nos últimos anos, agora que o Chrome OS, Windows e macOS oferecem suporte à arquitetura.

Mas, como eu disse, a Huawei está tentando deixar de usar tecnologias de empresas como Microsoft e Google, então o Qingyun L410 vem com um sistema operacional baseado em Linux chamado Unity OS, ou UOS.

O sistema operacional, que é desenvolvido pela UnionTech, foi criado em 2019 como parte do esforço do governo chinês para se afastar da dependência do Windows para computadores usados ​​no mercado doméstico.

Quanto ao laptop, ITHome observa que, além do processador e do sistema operacional, ele se parece muito com o Huawei MateBook 14. Os recursos incluem uma tela de 14 polegadas com proporção de 3:2, uma câmera oculta que aparece com o impulso de um botão, um sensor de impressão digital e um chip de segurança.

O notebook tem 8 GB de RAM, até 512 GB de armazenamento, mede cerca de 1,52 cm de espessura e pesa cerca de 1,5 kg.

Embora seja improvável que o Qingyun L410 seja vendido fora da China tão cedo, é o exemplo mais recente de que está ficando mais fácil para os fabricantes de laptop pularem o duopólio Wintel que dominou o espaço do PC por décadas.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.