Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

IPFire 2.27 Core 161 lançado com suporte a exFAT, e mais

E foi lançado o IPFire 2.27 Core 161 com suporta a exFAT, e mais. Confira as novidades e descubra onde baixar a distribuição.

IPFire é uma distribuição Linux que se concentra na fácil configuração, bom manuseio e alto nível de segurança.

Esse sistema é operado por meio de uma interface intuitiva baseada na web que oferece muitas opções de configuração para administradores de sistema iniciantes e experientes.

O IPFire é mantido por desenvolvedores que se preocupam com a segurança e que atualizam o produto regularmente para mantê-lo seguro. O IPFire é fornecido com um gerenciador de pacote personalizado chamado Pakfire e o sistema pode ser expandido com vários add-ons.

Agora, Michael Tremer anunciou o lançamento do IPFire 2.27 Core 161.

Novidades do IPFire 2.27 Core 161

IPFire 2.27 Core 161 lançado com suporte a exFAT, e mais
IPFire 2.27 Core 161 lançado com suporte a exFAT, e mais

IPFire 2.27 Core Update 161 introduz vários novos recursos, melhorias de desempenho e algumas outras mudanças importantes. Por exemplo, ele traz suporte para o sistema de arquivos exFAT, suporte para o mini roteador de código aberto FriendlyARM NanoPI R2S, bem como Detecção de fluxo rápido no proxy da web para detectar configurações de fluxo rápido de forma proativa.

Entre as melhorias de desempenho incluídas nesta atualização, há um grande aumento de taxa de transferência para o Intrusion Prevention System (IPS), permitindo que ele decida se o tráfego de uma determinada conexão IP precisa ser visto ou não e diga ao kernel para contorná-lo.

Michael Tremer explica que:

“Em sistemas como o Mini Appliance Lightning Wire Labs, que vem com quatro núcleos de CPU cada um com velocidade de clock de 1 GHz, aumenta a taxa de transferência de cerca de 120 MBit/s com carga total da CPU para 1 GBit/s com carga de cerca de 20% em um núcleo da CPU para este tipo de conexão.”

Outras mudanças dignas de nota incluem a remoção completa do suporte ao Python 2, a capacidade do proxy da web de sempre ocultar seu número de versão para evitar vazamentos de informações, suporte para a página do Pakfire exibir corretamente o estado bloqueado após o lançamento de uma atualização, suporte para o status de configurações de RAID de software no Logwatch, backup aprimorado das configurações do avahi e minidlna e estatísticas de utilização de disco aprimoradas.

Sob o capô, a distro de firewall IPFire 2.27 Core Update 161 é alimentada pelo kernel Linux 5.10.76 LTS que oferece proteção de variáveis ​​de pilha para evitar vazamentos de informações dentro do espaço de memória do kernel, suporte de hardware TPM como fonte de entropia e a capacidade para acordar com mais freqüência para manter a latência de encaminhamento de pacote baixa e também tornar o sistema mais responsivo.

Como de costume, vários pacotes e complementos foram atualizados. Entre eles, IPFire 2.27 Core Update 161 vem com Apache 2.4.51, cURL 7.79.1, dosfsutils 4.2, GD-Graph 1.54, gd 2.3.3, iproute2 5.14.0, perl-GD 2.73, strongSwan 5.9.4, 7zip 17.04 , cups-filters 1.28.10, Ghostscript 9.55.0, Git 2.33.1, htop 3.1.1, krb5 1.19.2, monit 5.29.0, GNU nano 5.9, pcengines-apu-firmware 4.14.0.4 e shairport-sync 3.3.8.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o IPFire 2.27 Core 161

A imagem ISO do IPFire 2.27 Core 161 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.