Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

LibreWolf, um Firefox preparado para ser mais privado ao iniciar

Se o que você procura é mais privacidade, conheça o LibreWolf, um Firefox preparado para ser mais privado ao iniciar, e veja como instalar ele no Linux.

O navegador da web mais usado no mundo atualmente é o Chrome. Em parte, acho que é porque a maioria das pessoas vai para o mainstream sem se preocupar com coisas como privacidade.

Aqueles de nós que usam Linux se pensarmos bem, e por isso acabamos com um navegador que usa Chromium, mas diferente do Chrome, ou Firefox. Existem navegadores baseados nos da Mozilla, como o LibreWolf, para nos oferecer diferentes experiências.

LibreWolf, um Firefox preparado para ser mais privado ao iniciar

LibreWolf, um Firefox preparado para ser mais privado ao iniciar
LibreWolf, um Firefox preparado para ser mais privado ao iniciar

Não vamos dizer que o Firefox é um navegador que espia os usuários como eles são. Mas LibreWolf inclui por padrão algumas ferramentas que o tornam ainda mais privado.

Para começar, ele não coleta dados de telemetria. Esses dados geralmente ajudam os desenvolvedores a melhorar seu software, mas eles precisam coletar certas informações que alguns podem preferir não compartilhar.

Além disso, os motores de busca são muito diferentes: por padrão ele usa DuckDuckGo, mas o resto das opções que oferece após a instalação do zero são, além da Wikipedia, DuckDuckGo Lite, que é a versão móvel, Searx, StartPage, Qwant e MetaGear.

Existem usuários que, após instalarem um navegador, a primeira coisa que procuram é um bloqueador de anúncios. Isso não é necessário em algumas distribuições de Linux que incluem uma versão do Firefox com uma incluída, e o LibreWolf tem uma extensão instalada por padrão: uBlock Origin.

Assim como o ETP do Firefox, os bloqueadores podem fazer com que algum componente de uma página da web pare de funcionar, algo que você deve ter em mente se funcionar de maneira incorreta, mas vale a pena em 99% dos casos.

O LibreWolf, como o Firefox, é um código aberto e é atualizado logo após o navegador em que é baseado. Veja-o como o navegador raposa, mas pronto para se concentrar na privacidade.

Na verdade, ele melhora o ETP do Mozilla, incluindo um firewall e outras melhorias de segurança, tudo sem sacrificar o desempenho ou a usabilidade.

Instalação em Linux

Conforme explicado em seu site, para instalá-lo no Linux, temos que fazer da seguinte forma:

Arch Linux: está no AUR, então você deve compilá-lo ou usar a ferramenta yay, como explicamos neste artigo. O pacote librewolf compila o Firefox e adiciona patches, enquanto o librewolf-bin fornece um binário. Se distribuições como o Manjaro forem usadas, ele pode ser instalado a partir do Pamac.
Debian: o repositório é adicionado e instalado com estes comandos:
echo 'deb http://download.opensuse.org/repositories/home:/bgstack15:/aftermozilla/Debian_Unstable/ /' | sudo tee /etc/apt/sources.list.d/home:bgstack15:aftermozilla.list
curl -fsSL https://download.opensuse.org/repositories/home:bgstack15:aftermozilla/Debian_Unstable/Release.key | gpg --dearmor | sudo tee /etc/apt/trusted.gpg.d/home_bgstack15_aftermozilla.gpg > /dev/null
sudo apt update
sudo apt install librewolf
Gentoo: o arquivo /etc/portage/repos.conf/librewolf.conf é criado com isso (alterando o “local do repo” para o local onde você deseja ir):
[librewolf]
priority = 50
location = "ubicación-del-repo"/librewolf
sync-type = git
sync-uri = https://gitlab.com/librewolf-community/browser/gentoo.git
auto-sync = Yes

Posteriormente, você deve executar emaint -r librewolf sync.

Ele também está disponível no AppImage e como um pacote Flatpak neste link.

É claro que quando nos acostumamos com algo é difícil mudar, mas uma alternativa ao Firefox é o LibreWolf.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.