Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Linus Torvalds criticou a gestão de memórias ECC por parte da Intel

Confira os detalhes sobre como Linus Torvalds criticou a gestão de memórias ECC por parte da Intel e entenda melhor essa polêmica.

Linus Torvalds é um cara que tende a não morder a língua independentemente de quem está na frente dele, mesmo que esse alguém seja um grande contribuidor como a Intel.

O criador do kernel Linux já criticou a empresa pela situação de vulnerabilidades que afetam seus processadores e se posicionou contra as instruções do AVX512, desejando-lhes “uma morte dolorosa”.

Se em ocasiões anteriores vimos Linus Torvalds criticando movimentos da Intel que afetam o kernel do Linux, agora ele critica a gestão de memórias ECC por parte da Intel.

Linus Torvalds criticou a gestão de memórias ECC por parte da Intel

Linus Torvalds criticou a gestão de memórias ECC por parte da Intel
Linus Torvalds criticou a gestão de memórias ECC por parte da Intel

Antes de nos aprofundarmos no assunto, diremos que as memórias ECC referem-se ao termo “código de correção de erros”, e se destacam, nos atendo ao mais básico, por serem capazes de detectar e corrigir a corrupção de dados.

O criador do Linux acusa a Intel de realizar práticas que levaram, em sua opinião, à segmentação do mercado de memórias ECC:

“A Intel foi fundamental para derrubar toda a indústria de ECC com sua terrível segmentação de mercado. A Intel tem prejudicado toda a indústria e usuários devido às suas políticas ruins e equivocadas em relação ao ECC. E se você não acredita em mim, olhe para as várias gerações de rowhammer, das quais a Intel e os fabricantes de memória reclamaram todas as vezes sobre como seria corrigido da próxima vez.”

Continuando com sua argumentação, Linus Torvalds comentou que a situação de que se queixa deriva do fato de a Intel considerar que os usuários finais não precisavam de ECC, o que fez com que aquele tipo de memória acabasse não sendo tão extenso quanto deveria.

Para reforçar sua postura contra a Intel e os fabricantes de RAM, Torvalds disse que “os argumentos contra o ECC sempre foram completos e uma besteira. Agora, até os fabricantes de memória estão começando a fazer ECC internamente porque finalmente reconheceram o fato de que é absolutamente necessário”.

Como está sendo visto, os fabricantes de memória RAM tampouco se poupam das críticas do criador do Linux:

“E os fabricantes de memória dizem que é devido à economia e menor poder. Que bastardos mentirosos. Deixe-me salientar mais uma vez como esses problemas existem por várias gerações, mas esses bastardos felizmente venderam hardware quebrado para os consumidores e alegaram que foi um ataque, quando sempre foi assim estamos tomando atalhos.”

Curiosamente, não é a primeira vez que Torvalds denuncia os atalhos tomados pelos fabricantes quando se trata de vender hardware inseguro, porque é exatamente isso que ele apontou sobre a execução especulativa e sua relação com as vulnerabilidades Meltdown e Spectre.

A defesa ECC de Tovalds também cobre as DRAMs mais recentes, que alguns dizem ser tão confiáveis ​​que não precisam do recurso anticorrupção.

Sobre esse argumento, o criador do Linux disse que nada mais é do que uma história infantil.

Existe uma empresa que está livre das críticas de Torvalds? Bem, sim, e essa é a AMD. O criador do Linux destacou que, embora o suporte da AMD ao ECC não seja oficial, sua posição abre a porta para que a situação seja corrigida, ainda que lentamente.

Voltando à Intel, a insistência de Torvalds contra ela deriva do forte domínio que ela manteve por um longo tempo, principalmente da falha do Bulldozer ao surgimento de Ryzen.

Claro, o fato de ter acontecido há alguns meses com a AMD pode ter influenciado seu julgamento.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.