Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução

Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução. Confira!

Em sua mais recente versão de desenvolvimento, o formato Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução.


Alex Larsson, da Flatpak, lançou uma nova versão da popular estrutura de sandbox e distribuição de aplicativos Linux, que promete ser o futuro da distribuição de aplicativos nos sistemas operacionais Linux.
Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução
Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução

O Flatpak 1.1.0 está agora disponível como o primeiro snapshot para iniciar o desenvolvimento da série Flatpak 1.2, que deve chegar até o final do ano, prometendo novos recursos e melhorias para tornar sua experiência Flatpak melhor de todos os ângulos para quem quiser implantar aplicativos em vários sistemas operacionais baseados em Linux.

Flatpak agora permite matar as instâncias do Flatpak em execução

Nesta versão de desenvolvimento, a equipe de desenvolvimento implementou um novo comando “flatpak kill” para finalmente permitir que usuários matem instâncias Flatpak, e tornou o argumento –remote opcional no comando “flatpak install” para instalações interativas, solicitando que os usuários escolham um local remoto para instalar o aplicativo.

Além disso, o Flatpak 1.1.0 adiciona suporte para a opção –columns a todos os comandos que imprimem tabelas em uma tentativa de permitir que os usuários especifiquem exatamente o que deve ser enviado, com suporte a argumento –commits para o comando “flatpak repo” para listar commits em um branch, juntamente com suporte para o argumento –info para mostrar informações sobre um repositório Flatpak.

Outras alterações notáveis ​​implementadas na versão 1.1.0 do Flatpak incluem a capacidade da estrutura de registrar transações no diário do systemd se ele for construído em relação à biblioteca libsystemd, suporte para o comando “flatpak remote-ls” para mostrar o tempo de execução usado para cada aplicativo e melhor saída de erro.

O comando “flatpak list” também foi atualizado para suportar a filtragem por tempo de execução, e o comando “flatpak uninstall” agora suporta o argumento –delete-data para permitir que os usuários excluam o diretório de do aplicativo em sua pasta Home.

Se nenhum aplicativo for especificado, os dados de todos os aplicativos desinstalados serão removidos.

O Flatpak 1.1.0 é o primeiro passo para a série 1.2 do Flatpak, que exigirá o OSTree 2018.9 ou superior.

Você não precisa instalar o Flatpak 1.1.0 em sua distribuição Linux para aproveitar os novos recursos e melhorias, mas pode fazer o download do tarball dos fontes, se quiser levá-lo para um test drive.

É recomendável aguardar o Flatpak 1.2, antes de atualizar a partir da série 1.0 do Flatpak.

O que está sendo falado no blog

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo



blog comments powered by Disqus