Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

PlasticARM da ARM, um microprocessador flexível feito de plástico em vez de silício

Conheça o PlasticARM da ARM, um microprocessador flexível feito de plástico em vez de silício, que pode ser usado em dispositivos flexíveis.

A maioria dos microprocessadores é feita de silício. E a maioria é rígida, o que significa que se você quiser colocá-los em dispositivos flexíveis como telefones dobráveis ​​ou vestíveis, eles precisarão ser colocados em uma seção que não dobre.

Para resolver essa limitação, a ARM acaba de lançar um novo chip PlasticARM que vai de encontro a ambas as tendências. É um processador nativamente flexível feito de plástico em vez de silício.

PlasticARM da ARM, um microprocessador flexível feito de plástico em vez de silício

PlasticARM da ARM, um microprocessador flexível feito de plástico em vez de silício
PlasticARM da ARM, um microprocessador flexível feito de plástico em vez de silício

A empresa afirma que o PlasticARM é o “primeiro processador ARM totalmente funcional sem silício”. O primeiro chip foi fabricado no outono passado usando o sistema de fabricação FlexLogIC da PragmatIC.

A ARM diz que o plástico poderia ser muito mais barato de produzir, enquanto sua natureza flexível permitiria que ele fosse usado em diferentes tipos de aplicações.

Eles podem ser usados ​​com substratos de papel, plástico ou folha de metal.

Portanto, não estamos apenas olhando para uma tecnologia de chip que poderia ser usada para dispositivos vestíveis como smartwatches e telefones dobráveis, mas também para embalagens de alimentos, bandagens ou outros dispositivos médicos vestíveis e todos os tipos de outras aplicações.

Mas enquanto a nova tecnologia da ARM pode eventualmente abrir caminho para eletrônicos mais baratos e flexíveis, o primeiro chip PlasticARM oferece especificações básicas:

  • SoC ARM Cortex-M0 de 32 bits (sistema em um chip)
  • Arquitetura ARMv6-M
  • Clock de 20 kHz durante o teste (suporte para até 29 kHz a 3 V ou 40 kHz a 4,5 V)
  • 128 bytes de RAM
  • ROM de 456 bytes
  • Processo de 0,8 μm

A ARM afirma que, apesar desses recursos básicos, o chip é “doze vezes mais complexo do que a eletrônica flexível de última geração anterior”.

Você pode encontrar mais detalhes em um artigo que os engenheiros da ARM enviaram à revista científica Nature, intitulado “Um microprocessador Arm de 32 bits nativamente flexível“.


Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.