Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Suporte ao Linux para os chips M1 da Apple? Um Dev quer fazer isso!

Hector Martin, o hacker que conseguiu instalar o Linux no PlayStation 4 está disposto a levar o suporte ao Linux para os chips M1 da Apple.

A Apple recentemente passou a usar seus próprios processadores baseados em ARM, o que dá aos computadores Mac, dando-lhes uma vantagem incontestável sobre os atuais chips baseados em Intel.

Mas a mudança também atinge os raios de outros sistemas operacionais que, tradicionalmente, são capazes de rodar o hardware da Apple. E isso inclui o Linux.

No lado do software, há (já) esforços frutíferos para portar o Windows 10, Docker e outro software de virtualização para rodar em chips Apple M1 (e alguns códigos x86 são executados mais rápido via emulação no processador M1 da Apple do que nativamente em chips Intel).

Trazer suporte ao Linux para os chips M1 da Apple não será uma tarefa fácil da noite para o dia, mas é uma tarefa que o desenvolvedor Hector Martin está disposto a assumir.

Suporte ao Linux para os chips M1 da Apple? Um Dev quer fazer isso!

Suporte ao Linux para os chips M1 da Apple? Um Dev quer fazer isso!
Suporte ao Linux para os chips M1 da Apple? Um Dev quer fazer isso!

Ele lançou uma campanha de arrecadação de fundos no Patreon para ajudar a apoiar seu trabalho em um port do Linux para o chip da Apple.

Martin escreve:

“Apple acaba de lançar uma nova linha de Apple Silicon Macs baseados em ARM que surpreendem todas as outras máquinas ARM da mesma classe. Não seria bom se eles pudessem rodar Linux também?”

“Acontece que eles podem, mas alguém precisa fazer o trabalho. Uma vez que esses dispositivos são novos e feitos de chips sob medida, portar o Linux para rodar neles é um grande empreendimento. Muito além de um projeto de hobby, é um trabalho de tempo integral”, explica ele.

Sua meta (atual) é ganhar US$ 4.000 por mês. Este é um número, Martin raciocina, é suficiente para financiar adequadamente o esforço de tempo integral necessário para criar mais “… um sistema operacional que você gostaria de usar em um dispositivo de driver diário”.

Linus Torvalds, criador do Linux, recentemente compartilhou suas idéias sobre o chip da Apple. Embora interessado, ele estava hesitante em ficar muito animado:

“O principal problema com o M1 para mim é a GPU e outros dispositivos ao redor, porque é provavelmente o que me impediria de usá-lo porque não teria nenhum suporte para Linux a menos que a Apple abrisse acima.”

Hector Martin é mais otimista do que Linus – e ele tem razão para ser: ele é realmente bom em portar o Linux para outras coisas, mesmo quando envolve engenharia reversa, criação de soluções alternativas complexas ou escrever drivers Linux do zero.

É possível rodar Linux no Sony PlayStation 4 (com aceleração 3D, nada menos) e no Nintendo Switch por causa de seus esforços.

“Executar o Linux nas coisas é fácil, mas fazer com que funcione bem é difícil. Os drivers precisam ser escritos para todos os dispositivos. O driver para a GPU da Apple totalmente personalizada é o componente mais complicado, necessário para uma boa experiência de desktop.”

Se você está interessado em ver o Linux embarcar na nova onda de tecnologia da Apple, você pode contribuir com seu projeto Patreon. As promessas começam a partir de US$ 3 por mês.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.