Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

System76 está construindo seu próprio ambiente de área de trabalho

Segundo o engenheiro de software Michael Murphy, a System76 está construindo seu próprio ambiente de área de trabalho, algo construído do zero.

A empresa americana System76 já mantém sua própria distribuição Linux baseada no Ubuntu, chamada Pop!_OS. Atualmente, essa distro vem com uma versão modificada da área de trabalho GNOME chamada de “COSMIC” (todas em maiúsculas mesmo).

Mas há planos em andamento para mudar algo construído do zero.

System76 está construindo seu próprio ambiente de área de trabalho

System76 está construindo seu próprio ambiente de área de trabalho
System76 está construindo seu próprio ambiente de área de trabalho

Sim. A System76 revelou que está trabalhando em um novo ambiente de área de trabalho que não é baseado no GNOME Shell.

A notícia de seu novo projeto vem por meio de Michael Murphy da System76, que compartilhou alguns dos fundamentos e motivação por trás da construção de um novo desktop em comentários postados no Pop!_OS Sub-reddit neste fim de semana.

As primeiras versões do Pop!_OS eram modestas modificações do Ubuntu. Hoje em dia, a distro já é bem distinta.

No coração do Pop!_OS está o desktop COSMIC criado pela System76. Isso pega a experiência do usuário central do GNOME e a remodela com extensões para melhor atender às necessidades de seu público-alvo (criadores, desenvolvedores, fabricantes, etc).

Mas as extensões do GNOME são, como alguns desenvolvedores do GNOME fazem questão de apontar, uma base arenosa para construir.

Ou seja, Não é ideal.

Segundo Murphy:

“Há coisas que gostaríamos de fazer que não podemos simplesmente realizar por meio de extensões no GNOME. As extensões em geral parecem um hack. E o que queremos fazer com nosso desktop difere do GNOME, então não é como se a opção de mesclar pop-shell e COSMIC no GNOME Shell fosse uma coisa bem-vinda.”

As recentes divergências entre os engenheiros do System76 e os desenvolvedores do GNOME não teriam acelerado a mudança potencial para um shell desenvolvido em casa.

Dito isso, você não precisava ser um adivinho para prever que as ambições do System76 para o COSMIC eventualmente cairiam fora de sincronia com uma plataforma se movendo em uma direção muito diferente.

Entao, o que nos podemos esperar?

Sabemos que o ‘shell’ de desktop COSMIC será construído (principalmente) na linguagem de programação Rust, embora os engenheiros da System76 planejem reutilizar as ferramentas existentes em torno disso, como por exemplo, Mutter, Kwin, Wlroots.

Ele também seguirá os padrões do FreeDesktop sempre que possível e pretende ser distro-agnóstico.

E sobre a aparência geral e o layout? Bem, Murphy diz que o objetivo é criar algo semelhante à experiência de desktop COMISC existente.

O tema da “fragmentação”, sem dúvida, irá levantar sua cabeça como/quando este novo projeto começar a ganhar força. E não é uma crítica injusta.

Mas é, como Murphy continua a explicar, talvez um lugar errado.

“Nenhum de nós estaria aqui hoje se as pessoas não fossem corajosas o suficiente para dar o próximo passo com uma nova solução para um problema existente. Provavelmente agora você está usando algum software que foi desenvolvido recentemente como uma alternativa para algo. Distribuições e pessoas gravitarão naturalmente em direção às melhores soluções ao longo do tempo. E às vezes a melhor solução para um indivíduo não é o ambiente de área de trabalho mais popular.”

Isso ecoa muito do meu próprio pensamento sobre o assunto (sobre o qual compartilhei partes díspares no passado). Prefiro pensar em ‘fragmentação’ como ‘experimentação’. Verificando suposições, explorando alternativas, desafiando o status quo, etc.

Expandir os limites e explorar caminhos alternativos são saudáveis ​​e devem ser incentivados. E mesmo que esses esforços no final das contas não signifiquem nada, nosso acervo coletivo de conhecimento é sempre melhor para alguém que tentou e falhou em fazer algo, do que nunca tentou.

Além disso, novos desktops não são construídos da noite para o dia, então vai demorar um pouco antes de vermos quaisquer “frutos” possíveis deste esforço.

Embora o novo Shell seja escrito do zero, parece que alguns componentes GTK existentes serão mantidos ou usados ​​por um tempo, conforme explica Murphy:

“Já estamos usando gtk-rs para todas as nossas coisas. Minha suposição é que é provável que vejamos alguns componentes no GTK em um futuro próximo. O shell em si, porém, é de nível inferior do que um kit de ferramentas GUI de desktop tradicional. Ele usará primitivas do gerenciador de janelas em que se baseia. Se uma GUI Rust madura aparecer, ela poderá ser usada no futuro, é claro. Em geral, gostaria de usar as melhores ferramentas sempre que possível.”

Ao todo, um desenvolvimento empolgante – no qual estarei de olho enquanto desenvolvo mais.

E o que você achou? Deixe sua opinião nos comentários deste artigo.

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.