Ubuntu será um componente-chave da próxima geração do 5G Core da BT

Confira os detalhes do anuncio de que o Ubuntu será um componente-chave da próxima geração do 5G Core da BT!

A Canonical anunciou que o Ubuntu será um componente-chave da geração do 5G da BT. Confira os detalhes dessa importante empreitada.

A BT é um dos principais fornecedores mundiais de serviços e soluções de comunicações, atendendo a clientes em 180 países.

Ubuntu será um componente-chave da próxima geração do 5G Core da BT
Ubuntu será um componente-chave da próxima geração do 5G Core da BT

Ubuntu será um componente-chave da próxima geração do 5G Core da BT

E agora, a Canonical anunciou que o Charmed OpenStack no Ubuntu foi selecionado pela BT como um componente-chave de sua próxima geração do 5G Core.

A empresa por trás do Ubuntu, fornecerá o virtual infrastructure manager (gerenciador de infraestrutura virtual, ou VIM) de código aberto como parte do programa de Network Function Virtualisation (Virtualização da Função de Rede, ou NFV) da BT, e a transição para uma rede Core baseada na nuvem.

Essa abordagem baseada em nuvem de código aberto garantirá que a BT possa implantar rapidamente novos serviços e aumentar a capacidade de ficar à frente da demanda do cliente impulsionada por 5G e FTTP.

A arquitetura OpenStack da Canonical também facilitará a entrega da rede 5G Core da BT.

O software de nuvem Openstack permitirá a separação de hardware e software de rede, transformando componentes de rede principais em aplicativos de software, o que significa que eles podem ser atualizados mais rapidamente com integração e desenvolvimento contínuos.

Essa separação permite que diferentes aplicativos de rede compartilhem o mesmo hardware entre os data centers, tornando a rede mais resiliente e escalável quando a capacidade adicional é necessária.

A velocidade com que o software pode ser atualizado em comparação com a substituição de equipamentos de rede principal levará a uma nova maneira de trabalhar para o desenvolvimento de serviços 5G, nos quais a BT pode criar novos serviços em semanas e implantá-los em dias.


Neil J. McRae, arquiteto-chefe do BT Group, disse que:

“A Canonical está nos fornecendo a base da ‘nuvem nativa’ que nos permite criar uma rede inteligente e totalmente convergida. Utilizar as tecnologias open source e as melhores tecnologias garantirá que possamos oferecer nossa visão de convergência e permitir uma experiência 5G e FTTP líder mundial para nossos clientes.”

Já Mark Shuttleworth, CEO da Canonical, disse o seguinte:

“A BT reconheceu a eficiência, flexibilidade e inovação proporcionada por uma arquitetura aberta e percebe o valor de tal abordagem ao possibilitar a entrega de novos serviços 5G. Estamos muito satisfeitos em trabalhar com eles para fornecer a base para essa abordagem, que sustentará a estratégia 5G da BT.”

A rede móvel EE da BT ligou o 5G em seis cidades de lançamento na quinta-feira 30 de maio de 2019.

Clientes e empresas em Londres, Birmingham, Cardiff, Manchester, Edimburgo e Belfast são os primeiros lugares no Reino Unido a experimentar os benefícios do 5G.

A BT também delineou seu roteiro 5G, que verá o núcleo 5G completo baseado em nuvem lançado a partir de 2022.

A maior largura de banda e menor latência, juntamente com a cobertura expansiva e crescente do 5G, fornecerão uma rede mais responsiva, permitindo realidade aumentada verdadeiramente imersiva em dispositivos móveis, monitoramento de integridade em tempo real e em nuvem móveis.

O núcleo 5G completo também é um passo vital na convergência das tecnologias de rede da BT, reunindo fixo, móvel e WiFi em uma experiência perfeita para o cliente.

Outros desenvolvimentos, capazes de serem introduzidos com mais agilidade graças à arquitetura baseada em nuvem, introduzirão comunicações de baixa latência ultraconfiáveis ​​(URLLC), redução de rede e velocidades de vários gigabits por segundo.

Esta fase do 5G possibilitará aplicações críticas como gerenciamento de tráfego em tempo real de frotas de veículos autônomos, redes de sensores massivas com milhões de dispositivos medindo a qualidade do ar em todo o país e a ‘internet tátil’, onde um senso de toque pode ser adicionado para interações remotas em tempo real.

O 5G Core da BT será construído no OpenStack Charmed da Canonical e utilizará as ferramentas de código aberto da Canonical para automatizar a implantação e as operações de sua infraestrutura.

Para implantar o gerenciador de infraestrutura virtual (VIM), a BT adotou o Juju e o Charms para uma arquitetura orientada a modelo para aplicativos de funções de rede virtual (VNFs), enquanto o MAAS é usado como ferramenta de provisionamento de nuvem.

O 5G Core da BT será apoiado pelo Ubuntu Advantage for Infrastructure para o gerenciamento contínuo e suporte de operações.

Via Canonical

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Ajude a manter o Blog do Edivaldo - Faça uma doação

Se você gosta do conteúdo do Blog, você pode ajudar a manter o site simplesmente fazendo uma doação única, esporádica ou mensal, usando uma das opções abaixo:

Doação usando Paypal

Doação usando PagSeguro
Outras formas de ajudar a manter o Blog do Edivaldo