Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux

E a Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux e tecnologias de código aberto, conhecida como Open Invention Network.

Xiaomi é uma das principais empresas de smartphones do mundo. Os produtos da Xiaomi estão presentes em mais de 100 países e regiões ao redor do mundo.

A empresa também estabeleceu a plataforma de consumo AIoT (AI + IoT) líder mundial, com 351,1 milhões de dispositivos inteligentes conectados à sua plataforma em 31 de março de 2021, sem incluir smartphones e laptops.

E, há poucos dias, a Open Invention Network (OIN) divulgou a notícia de que a Xiaomi, um dos maiores fabricantes de smartphones, dispositivos inteligentes e plataformas IoT, tornou-se membro da OIN.

Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux

Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux
Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux

Sim. A Xiaomi se juntou à OIN, a iniciativa de proteção de patentes do Linux. Ao ingressar na OIN, a empresa demonstrou seu compromisso com a co-inovação e o gerenciamento não invasivo de patentes, já que Linux e tecnologias de código aberto são uma parte fundamental dos produtos da Xiaomi e a empresa pretende continuar desenvolvendo e integrando software de código aberto em seus produtos, além de participar do desenvolvimento do Linux e de diversos projetos de código aberto.

Keith Bergelt, CEO da Open Invention Network, disse que:

“Smartphones, dispositivos inteligentes e tecnologia IoT estão impulsionando recursos sem precedentes para melhorar as relações pessoais, expandir as opções de entretenimento, tornar as casas mais inteligentes e aumentar a eficiência dos negócios. Graças às suas ricas capacidades de pesquisa e desenvolvimento técnico, a Xiaomi criou uma gama significativa de produtos e serviços, bem como um portfólio sofisticado de propriedade intelectual. Agradecemos que a Xiaomi se junte à OIN e demonstre seu compromisso com a inovação. colaboração e não agressão de patentes de código aberto.”

Já o Sr. Cui, vice-presidente do Xiaomi Group, disse que:

“A Xiaomi se dedica a fornecer produtos transparentes e confiáveis ​​aos usuários, para que a tecnologia de qualidade seja acessível a todos. Linux e tecnologia de código aberto são uma parte fundamental dos produtos da Xiaomi. Continuaremos a desenvolver e integrar OSS em nossos produtos. Ao ingressar na OIN, estamos demonstrando nosso compromisso implacável com a criatividade e o código aberto. Temos orgulho de oferecer suporte ao Linux e ao desenvolvimento de outros projetos de código aberto sem patentes.”

As empresas signatárias obtêm acesso às patentes detidas pela OIN em troca da obrigação de não processar pelo uso de tecnologias utilizadas no ecossistema Linux.

Entre outras coisas, como parte da adesão à OIN, a Microsoft transferiu aos participantes da OIN o direito de usar mais de 60.000 de suas patentes, comprometendo-se a não usá-las contra Linux e software de código aberto.

O acordo entre os membros OIN aplica-se apenas a componentes de distribuições que se enquadram na definição de um sistema Linux (“Sistema Linux”).

A lista atualmente inclui 3393 pacotes, incluindo kernel Linux, plataforma Android, KVM, Git, nginx, Apache Hadoop, CMake, PHP, Python, Ruby, Go, Lua, LLVM, OpenJDK, WebKit, KDE, GNOME, QEMU, Firefox, LibreOffice , Qt, systemd, X.Org, Wayland, PostgreSQL, MySQL, etc.

Além das obrigações de não agressão, para proteção adicional dentro da OIN, um pool de patentes foi formado, que inclui patentes compradas ou doadas por participantes relacionados ao Linux.

O pool de patentes da OIN inclui mais de 1.300 patentes, incluindo OIN Hands é um pool de patentes, envolvendo uma das primeiras tecnologias de referência criando conteúdo dinâmico da web que antecipou sistemas de ocorrência como ASP da Microsoft, JSP / Oracle da Sun e PHP.

Os membros da OIN têm o compromisso de não registrar reivindicações de patentes e são livres para autorizar o uso de tecnologias proprietárias em projetos relacionados ao ecossistema Linux.

Os membros da OIN incluem mais de 3.500 empresas, comunidades e organizações que assinaram acordos de licença de compartilhamento de patentes.

Entre os principais participantes da OIN, proporcionando a formação de um grupo de patentes que protege o Linux, empresas como Google, IBM, NEC, Toyota, Renault, SUSE, Philips, Red Hat, Alibaba, HP, AT&T, Juniper, Facebook, Cisco , Casio, Huawei, Fujitsu, Sony e Microsoft.

Por fim, caso tenha interesse em saber mais sobre o assunto, consulte os detalhes no seguinte endereço.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.