Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Asahi Linux, uma distribuição totalmente funcional para Apple M1

Héctor Martin prometeu e já está começando a cumprir, conheça o Asahi Linux, uma distribuição totalmente funcional para Apple M1.

Durante o mês de novembro do ano passado, foi divulgada a notícia de que Héctor Martin (mais conhecido como Marcan) pretendia adaptar o Linux para rodar em computadores Mac equipados com o novo chip ARM da Apple, o M1.

Hector tem vasta experiência na adaptação de Linux para sistemas incomuns, por exemplo, ele é conhecido por portar Linux para Nintendo Switch/Wii, Microsoft Kinect e Sony PlayStation 3/4 (incluindo ele foi um dos réus no sensacional processo Sony por contornar a proteção no PlayStation 3).

Desde 2000, Marcan está comprometido em portar sistemas Linux para vários dispositivos e fornecer suporte não oficial de código aberto. Sua última tentativa foi portar o Linux no Sony PS4 e habilitá-lo a rodar jogos Steam compatíveis com OpenGL/Vulkan.

Para esta tarefa Héctor Martin lançou uma campanha de financiamento no Patreon com a qual todos os interessados ​​no projeto ou apoiando Héctor, fizeram suas doações para que ele pudesse portar para o Linux para a nova série Apple M1.

E agora, o projeto começou oficialmente e Marcan o chamou de Asahi Linux e criou o site oficial e os repositórios de código.

Asahi Linux, uma distribuição totalmente funcional para Apple M1

Asahi Linux, uma distribuição totalmente funcional para Apple M1
Asahi Linux, uma distribuição totalmente funcional para Apple M1

Em relação ao nome do projeto, especifica-se que este “vem do nome japonês da maçã McIntosh, 旭 (Asahi)”.

O projeto Asahi Linux está planejando portar o Linux para uma série de dispositivos de computação Apple Silicon Macs do 2020 M1 Mac Mini, MacBook Air e MacBook Pro da Apple.

Marcan disse que o objetivo do projeto não é apenas fazer o Linux rodar nesses computadores Apple, mas melhorá-lo a ponto de os usuários poderem usá-lo como sistema operacional diário.

Os desenvolvedores enfatizam no site oficial do projeto que este não é um jailbreak e nenhum código macOS é usado. Portanto, o projeto é absoluto e legal em todos os aspectos.

Hector Martin, fundador da Asahi Linux escreveu:

“Contanto que nenhum código do macOS seja usado para construir o suporte ao Linux, o resultado é completamente legal para distribuição e uso por usuários finais, já que não seria um trabalho derivado do macOS.”

Entre as dificuldades a serem resolvidas, está a codificação de um driver para o “GPU Apple totalmente customizado” ou pontos delicados como o gerenciamento de energia.

O desenvolvedor primeiro lidará com o Mac Mini M1 e explicou que o Asahi Linux eventualmente será um remix do Arch Linux ARM.

A engenharia reversa para a unidade gráfica do Apple Chip já começou e como pode ser lido no artigo “Dissecando a GPU Apple M1” no blog de Alyssa Rosenzweig.

Sobre essa parte, Hector Marti disse que:

“Nosso objetivo não é apenas fazer o Linux rodar nessas máquinas como uma simples demonstração técnica, mas aprimorá-lo a ponto de poder ser usado como um sistema operacional diário. Fazer isso requer uma enorme quantidade de trabalho, já que a Apple Silicon é uma plataforma completamente não documentada.”

Além disso, menciona-se que neste trabalho, o desenvolvedor residente no Japão poderia ter o apoio de Linus Torvalds e é preciso lembrar que o responsável pelo kernel do Linux havia dito no ano passado que daria as boas-vindas ao Linux em dispositivos Apple Recente

“Eu adoraria ter um, se fosse apenas Linux… Há muito tempo que estou esperando por um laptop ARM que pode rodar Linux. O último Air seria quase perfeito, exceto pelo sistema operacional. Não tenho tempo para jogar, nem quero lutar contra empresas que não querem me ajudar.”

Por fim, para quem está interessado no projeto e/ou conhece o estado atual da distribuição Linux para Apple Silicon, deve saber que o monitoramento do desenvolvimento pode ser feito através da página do projeto Asahi Linux na plataforma de desenvolvimento do GitHub.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.