Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Chrome 101 lançado com a função Side Search, e muito mais

E foi lançado o Chrome 101 com a função Side Search, e muito mais. Confira as novidades desse update e veja como instalar no Linux.

O fato de que o Google Chrome ainda é o navegador mais usado no planeta o torna uma das mais importantes ferramentas de controle da web para o Google.

Mas independente disso, o Chrome é o navegador do Google e também o navegador número um no mercado, com uma participação de mais de 65%, de acordo com dados de terceiros da NetMarketShare.

Agora, o Google anunciou o lançamento da nova versão do seu navegador, Google Chrome 101.

Novidades do Chrome 101

Chrome 101 lançado com a função Side Search, e muito mais
Chrome 101 lançado com a função Side Search, e muito mais

Nesta nova versão do Chrome 101, foi adicionada a função Side Search, que permite que os resultados da pesquisa sejam exibidos na barra lateral ao mesmo tempo que outra página é exibida (em uma janela você pode ver simultaneamente o conteúdo da página como resultado do acesso ao motor de busca).

Após visitar um site a partir de uma página de resultados de pesquisa do Google, um ícone com a letra “G” aparece na frente do campo de entrada na barra de endereços, quando clicado, uma barra lateral com os resultados da pesquisa é aberta. Por padrão, o recurso não está habilitado em todos os sistemas, você pode usar a configuração “chrome://flags/#side-search” para habilitá-lo.

Outra mudança que se destaca nesta nova versão está na barra de endereços da Omnibox que agora, além de ser carregada, também é processada no buffer (incluindo os scripts que são executados e a árvore DOM é formada), o que permite visualização instantânea de recomendações após um clique.

Removidos os nomes das políticas comerciais (chrome://policy) que continham termos não inclusivos. A partir do Chrome 86, foram propostas substituições para essas políticas que usam terminologia inclusiva.

Termos limpos como “lista branca”, “lista negra”, “nativo” e “mestre”. Por exemplo, a política URLBlacklist foi renomeada para URLBlocklist, AutoplayWhitelist para AutoplayAllowlist e NativePrinters para Printers.

Foram feitas melhorias nas ferramentas para desenvolvedores web, das quais foi fornecida a capacidade de importar e exportar ações de usuários gravadas em formato JSON,

Para completar, o cálculo e visualização de propriedades privadas no console web e a interface de visualização de código também foram aprimorados,

Além disso, foi adicionado o suporte para trabalhar com o modelo de cores HWB e adicionou a capacidade de visualizar camadas em cascata definidas por meio da regra @layer no painel CSS.

No modo Origin Trials, até agora apenas compilações para a plataforma Android começaram a testar a API Federated Credential Management (FedCM), que permite criar serviços de federação de identidade que garantem privacidade e funcionamento contínuo, mecanismos de rastreamento de sites, como o processamento de cookies de terceiros.

A avaliação de origem implica a capacidade de trabalhar com a API especificada a partir de aplicativos baixados do localhost ou 127.0.0.1, ou após o registro e recebimento de um token especial válido por tempo limitado para um site específico.

Além disso, o suporte para fluxos WebRTC foi adicionado à API MediaCapabilities, que fornece informações sobre os recursos do dispositivo e do navegador para decodificar conteúdo de mídia (codecs, perfis, taxas de bits e resoluções compatíveis).

Propõe-se a terceira versão da API Secure Payment Confirmation, que fornece ferramentas para confirmação adicional da transação de pagamento que está sendo realizada.

A nova versão adiciona suporte para identificadores que requerem entrada, a definição de um ícone para indicar uma falha de validação e a propriedade opcional payeeName.

Por fim, também é observado que a capacidade de usar a API WebSQL em scripts de terceiros foi removida.

Por padrão, o bloqueio do WebSQL em scripts não carregados do site atual foi ativado no Chrome 97, mas foi deixada uma opção para desativar esse comportamento. No Chrome 101, essa opção foi removida.

Mais detalhes sobre as alterações a serem encontradas na versão estável do Chrome 101 em ChromeStatus.com.

Como instalar ou atualizar o Chrome

Os usuários de Android e iOS podem atualizar o Chrome em suas respectivas lojas de aplicativos.

Já os usuários de desktop Windows, Mac e Linux podem atualizar para o Chrome mais recente acessando Configurações -> Ajuda -> Sobre o Google Chrome e o navegador verificará automaticamente a nova atualização e a instalará se e quando disponível.

Ou para instalar a versão mais recente do Chrome nas principais distribuições Linux, use um desses tutoriais:
Google Chrome no Linux Ubuntu, Debian, Fedora, Arch e derivados – veja como instalar
Como instalar o Google Chrome no Fedora e derivados
Como instalar o Google Chrome no Ubuntu e derivados

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.