Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma

Depois da Samsung ter utilizado o Tizen em substituição ao Wear OS, agora o Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma.

O primeiro smartwatch da Samsung executou o software Android Wear do Google. Mas, no ano seguinte, a Samsung passou a usar seu próprio software baseado no sistema operacional Tizen, que alimenta os smartwatches Samsung desde então.

Agora, a Samsung e o Google estão combinando elementos de seus sistemas operacionais vestíveis para criar o que eles chamam de uma “plataforma única e unificada”. E é isso que os relógios de próxima geração da Samsung rodarão quando forem lançados ainda este ano.

Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma

Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma
Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma

Sim. O Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma. De acordo com o Google, os benefícios da nova plataforma unificada incluem maior duração da bateria e aplicativos que iniciam 30% mais rapidamente.

A Samsung diz que espera que a nova plataforma “acenda a inovação” e “inspire o desenvolvimento de terceiros”, uma vez que os desenvolvedores de aplicativos vestíveis teoricamente serão capazes de direcionar mais dispositivos ao mesmo tempo.

O Google diz que a nova plataforma de software unificada foi otimizada para aproveitar melhor os núcleos de hardware de baixo consumo de energia e permitir uma longa vida útil da bateria, mesmo ao fazer coisas como:

  • Medições contínuas da frequência cardíaca ao longo do dia
  • Rastreamento do sono noturno

A próxima versão do Wear OS também contará com uma interface de usuário renovada com novos atalhos para fazer coisas como navegar para o aplicativo anterior, novas opções de personalização da tela inicial e aplicativos reprojetados, incluindo Google Maps, Assistant e Pay.


Depois de adquirir a Fitbit, o Google também está se preparando para trazer os recursos de rastreamento de saúde da empresa para o Wear OS. E o YouTube Music também chegará ao sistema operacional ainda este ano.

Ainda que pareça que a nova plataforma pode ser o sistema operacional padrão para futuros smartwatches Samsung, a empresa diz que continuará a oferecer suporte a relógios existentes rodando seu software baseado em Tizen, com pelo menos três anos de suporte de software a partir da data de lançamento.

Embora a grande notícia do anúncio de hoje seja o retorno da Samsung ao rebanho, o Google observa que a nova versão do Wear OS não é apenas para dispositivos Google e Samsung. A nova plataforma será aberta a todas as empresas fabricantes de wearables.

Mesmo agora que o Google e Samsung uniram Wear OS e Tizen em uma única plataforma, o que resta saber é se isso vai estimular alguma dessas empresas a usar hardware de última geração. A maioria dos relógios Wear OS no mercado ainda usa tecnologia obsoleta em vez dos chips mais recentes que supostamente traziam um desempenho aprimorado.

Mas talvez isso não importe se o Google e a Samsung podem cumprir a promessa de trazer um desempenho aprimorado no nível do sistema operacional.

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.