Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Huawei diz que não retornará aos serviços do Google

Mesmo com os EUA e a China entrando em acordo e a proibição da Huawei possa ser suspensa em breve, a Huawei diz que não retornará aos serviços do Google.

A Huawei foi pega no meio da guerra comercial EUA/China e está isolada dos aplicativos e serviços do Google há mais de meio ano. Isso forçou a empresa a criar rapidamente uma variante Android sem Google para garantir que telefones como o Mate 30 Pro pudessem ser enviados.

Huawei diz que não retornará aos serviços do Google
Huawei diz que não retornará aos serviços do Google

Embora pareça que os EUA e a China estejam entrando em acordo um com o outro e a proibição da Huawei possa ser suspensa em breve, o fabricante disse ao jornal austríaco Der Standard que ainda não retornará aos serviços do Google.

Huawei diz que não retornará aos serviços do Google

Fred Wangfei, country manager da Huawei Austria, diz que a empresa quer se livrar de sua dependência da política norte-americana, pois ninguém poderia dizer se haveria outro bloqueio após o atual.

É por isso que o objetivo declarado do fabricante é a criação de um terceiro ecossistema de smartphone próximo ao Android e iOS.

No longo e no curto prazo, a Huawei quer que sua versão do Android fique o mais próxima possível do Google para sobrecarregar os desenvolvedores de aplicativos com pouco ou nenhum trabalho adicional.

É por isso que atualmente é difícil recriar adequadamente a funcionalidade dos Serviços do Google Play, que oferece APIs que permitem que os aplicativos recebam notificações por push e serviços de localização.

A Huawei diz à Standard que já replica as 24 das 60 APIs mais essenciais por meio da alternativa Huawei Mobile Services, graças a uma equipe de 4.000 desenvolvedores.

A empresa também afirma que ficaria feliz em receber aplicativos dos EUA, como Facebook e WhatsApp, na galeria de aplicativos da sua Play Store alternativa.

Como atualmente as empresas americanas não estão autorizadas a negociar com a Huawei, a fabricante deseja fundar uma corporação proxy na Europa com a qual essas empresas possam trabalhar.
 
Apesar de sua perspectiva positiva para o futuro, a Huawei sabe que se tornar independente será um feito difícil. E certamente, eles esperam que a falta de aplicativos do Google diminua sua participação no mercado inicialmente.

Além disso, seus investimentos de três bilhões de dólares nos serviços móveis da Huawei e despesas adicionais de um bilhão de dólares em campanhas publicitárias internacionais que promovem seu futuro sem Google, provavelmente também não ajudarão a empresa a melhorar esse cenário obscuro.

O que está sendo falado no blog

Categorias Arch, Debian, Fedora, Gentoo, Linux, Linux Mint, Mandriva, Open Source, openSUSE, Software livre, Trisquel, Tutorial, Ubuntu Tags , , , , , , , ,

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.