Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários

Na esteira dos acontecimentos da guerra entre a Russia e Ucrânia, o Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários.

A Rússia baniu o Instagram. A plataforma de compartilhamento de fotos e vídeos de propriedade da Meta não é mais acessível aos 80 milhões de usuários do país. A proibição entrou em vigor à meia-noite, hora local, no último domingo (13/03).

Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários

Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários
Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários

Sim. O Instagram foi banido na Rússia, cortando 80 milhões de usuários. Essa proibição no Instagram não é uma surpresa. A Rússia havia anunciado planos na semana passada, já tendo banido o Facebook e o Twitter. O país citou “discriminação contra a mídia russa” como o motivo para banir o Facebook.

Enquanto isso, a proibição do Instagram é por causa da empresa-mãe Meta, que também possui o Facebook, permitindo que usuários em países estrangeiros, incluindo a Ucrânia, façam postagens pedindo violência contra soldados russos.

“Esta decisão cortará 80 milhões na Rússia uns dos outros e do resto do mundo, já que ~ 80% das pessoas na Rússia seguem uma conta do Instagram fora de seu país. Isso está errado.”, tuitou o chefe do Instagram, Adam Mosseri, na sexta-feira passada.

Talvez as ações da Rússia sejam uma resposta ao anúncio de sanções da UE, EUA e Reino Unido contra o país após a invasão da Ucrânia no mês passado. As sanções visam separar o maior país do mundo do resto do mundo.

Várias grandes empresas pararam ou limitaram suas operações na Rússia, incluindo Samsung, Apple, Microsoft, HP e Intel. Todos esses desenvolvimentos isolam gradualmente o país “financeira, economicamente e tecnologicamente”.

A Rússia, enquanto isso, continuou sua agressão militar na Ucrânia. A invasão não provocada tirou várias vidas inocentes.

E à medida que seus próprios cidadãos começam a falar contra a violência, o país está banindo plataformas populares de mídia social para cortar a comunicação e controlar o fluxo de informações sobre a invasão da Ucrânia.

Sofia Abramovich, filha do bilionário e dono do Chelsea, Roman Abramovich, teria compartilhado um post anti-Putin no Instagram. Mais tarde, ela apagou.

Mas ela não é a única russa que não quer que seu país mate pessoas inocentes de um país vizinho. Infelizmente, eles não podem mais acessar as plataformas que os facilitam para falar contra seu governo.

Essas proibições afetam muitos russos de mais de uma maneira. Particularmente, criadores de conteúdo de mídia social. “Este é o meu trabalho”, disse a influenciadora de moda russa, Karina Nigay (via The Verge).

“Imagine que você foi demitido completamente do trabalho e não está recebendo nenhuma renda, mas ao mesmo tempo você tem despesas para sua família, para sua equipe se você tem subordinados e, de repente, você não tem nada para pagar à sua equipe.”

Os criadores de conteúdo russos do Instagram agora estão incentivando seus seguidores a segui-los em outras plataformas. A população local também pode contornar a proibição usando uma VPN (rede privada virtual).

Por fim, espero que tudo isso acabe logo e todos possamos viver em paz.

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.