Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel

Em apoio ao Black Lives Matter, Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel. Confira os detalhes dessa mudança.

Em 04 de julho de 2020, o mantenedor do Linux Dan Williams propôs novas diretrizes para substituir a terminologia não inclusiva.

Embora o Linux já tenha seu estilo de codificação e conjunto de terminologia, a proposta surgiu em meio ao movimento Black Lives Matter em andamento.

Após uma longa discussão, Linus Torvalds, criador do Linux, finalmente fundiu a nova terminologia inclusiva na árvore de fontes do Linux.

Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel

Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel
” alt=”Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel” width=”600″ height=”337″ class=”size-full wp-image-136717″ /> Linus Torvalds aprovou o uso de nova terminologia inclusiva para o kernel[/caption]
E com o lançamento do krnel 5.8-rc5 mais recente, é recomendável que todos os desenvolvedores de Linux evitem usar os termos master/slave’ and ‘blacklist/whitelist’ (mestre/escravo e lista negra/lista branca) no código e documentação do kernel.

Como substituto dessa terminologia, a equipe do Linux não forneceu termos alternativos específicos.

Em vez disso, assim como o Linux oferece liberdade de escolha, os desenvolvedores também deram várias opções para escolher alternativas apropriadas para cada termo não inclusivo.

Aqui está uma lista de substituições recomendadas para master/slave e blacklist/whitelist:

Termos proibidos  Substituições recomendadas
master primary, main, initiator, requester, controller, host, leader, director
slave secondary, replica, subordinate, target, responder, device, worker, proxy, follower, performer
blacklist denylist, blocklist
whitelist allowlist, passlist

No entanto, esses termos proibidos ainda podem ser usados ​​apenas em casos de exceções em que esses termos são obrigatórios.

Isso inclui a manutenção de uma ABI/API do espaço do usuário e a atualização do código para especificação de hardware ou protocolo existente.

   

Bem, principalmente na comunidade de codificação, não acho que esses termos levem a qualquer tipo de racismo ou discriminação entre os desenvolvedores.

Mas após os protestos atuais do Black Lives Matter nos EUA, várias empresas de tecnologia revisaram suas políticas e práticas para promover a inclusão de todos os seres humanos, independentemente de sua cor ou gênero.

Posteriormente, a equipe do kernel Linux também decidiu revisar seu estilo de codificação e esquema de nomeação.

Como resultado, é proposta uma nova terminologia alternativa para evitar o uso de qualquer nome ou termo insensível que ofenda direta ou indiretamente qualquer pessoa ou comunidade.

Mudando de assunto…

Saindo do tema acima e para relaxar um pouco, confira o vídeo abaixo:


O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.