Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

OpenRazer 3.2 lançado com suporte a mais periféricos Razer no Linux

O projeto OpenRazer lançou o OpenRazer 3.2 com suporte a mais periféricos Razer no Linux. Confira as novidades e veja como instalar.

Uma das coisas mais frustrantes em construir um novo computador para Linux são os periféricos, especialmente para gamers que procuram muitas funcionalidades de seus periféricos.

No entanto, atualmente não há drivers oficiais para nenhum periférico Razer no Linux. Mas se você tem periféricos Razer, pode estar com sorte, pois o projeto OpenRazer tem uma solução para você.

É um driver de código-fonte totalmente aberto e daemon de espaço do usuário que permite gerenciar seus periféricos Razer no Linux.

Muito mais que isso, ele é um driver de código aberto e uma ferramenta de espaço de usuário para gerenciar e configurar periféricos Razer selecionados em problemas no Linux, como o Ubuntu.

Na prática, o OpenRazer é uma coleção de drivers e aplicativos Linux para os dispositivos Razer, fornecendo drivers de kernel, serviços DBus e python bindings para interagir com a interface DBus.

Para entender melhor, os seguintes aplicativos complementam e interagem com esse driver:

  • Policromatic – uma ferramenta de gerenciamento gráfico e applet de bandeja para gerenciar periféricos Razer;
  • RazerGenie – Aplicativo Qt para configurar seus dispositivos Razer sob o Linux;
  • razerCommander – GUI simples escrito em Gtk3;
  • Chroma Feedback – Transforme seu teclado, mouse ou fone de ouvido Razer em um dispositivo de feedback extremo.

Embora a Razer tenha falado sobre o suporte ao Linux no passado, até agora eles não ofereceram oficialmente suporte ao Linux para sua gama de wares populares entre os jogadores.

No entanto, graças à comunidade de código aberto, o OpenRazer oferece suporte para os teclados, mouses e outros periféricos da empresa no Linux, graças à engenharia reversa.

Agora, o lançamento do OpenRazer 3.1 para promover esse esforço.

Novidades do OpenRazer 3.1

OpenRazer 3.2 lançado com suporte a mais periféricos Razer no Linux
OpenRazer 3.2 lançado com suporte a mais periféricos Razer no Linux

O OpenRazer é desenvolvido por meio de engenharia reversa e, com o tempo, desenvolveu um suporte bastante robusto para dispositivos Razer para Linux, não apenas para seus teclados e mouses, mas também para fones de ouvido, estações base, Thunderbolt Dock e outros dispositivos.

OpenRazer 3.2 é o novo lançamento e oferece suporte a muitos outros produtos Razer, incluindo:

  • Razer Blade 14 (2021)
  • Razer BlackWidow V3 Mini Hyperspeed
  • Razer Blade Pro 17 (início de 2020)
  • Razer Blade 17 Pro (meados de 2021)
  • Razer BlackWidow V3
  • Razer Thunderbolt 4 Dock Chroma
  • Razer Viper 8KHz
  • Base Razer Blade 15 (início de 2021)
  • Razer BlackWidow V3 Pro (com fio)
  • Razer DeathAdder Essential (2021)

Além do novo suporte a dispositivo Razer, o OpenRazer 3.2 substitui sua dependência dbus-user-session por dbus-session-bus para satisfazer a compatibilidade com a distribuição Devuan baseada em Debian, mas sem systemd, melhorias no suporte a dispositivo Razer existente e uma variedade de correções de bugs.

Você encontrará mais informações, além de detalhes na nota de lançamento.

Você também pode ver se o seu dispositivo é compatível visitando a página oficial do GitHub do OpenRazer.

Como instalar ou atualizar

Para instalar a versão mais recente do OpenRazer nas principais distribuições Linux, use esse tutorial:
Como instalar o driver OpenRazer no Ubuntu e derivados

Você encontrará mais informações, além de detalhes sobre como instalar o OpenRazer no seu sistema Linux, acessando a página oficial do projeto no Github

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.