Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Parrot 4.11 lançado com Kernel 5.10 LTS e ferramentas hacking atualizadas

E foi lançado o Parrot 4.11 com Kernel 5.10 LTS, ferramentas hacking atualizadas e mais. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

Parrot (anteriormente Parrot Security OS) é uma distribuição baseada em Debian e orientada à segurança, com uma coleção de utilitários projetados para testes de penetração, análise forense de computadores, engenharia reversa, hacking, privacidade, anonimato e criptografia.

Esse sistema é uma distribuição de release, foi desenvolvido pela Frozenbox, e vem com o MATE como o ambiente de desktop padrão.

Agora, a ParrotSecurity anunciou a disponibilidade geral da distribuição Parrot 4.11.

Novidades do Parrot 4.11

Parrot 4.11 lançado com Kernel 5.10 LTS e ferramentas hacking atualizadas
Parrot 4.11 lançado com Kernel 5.10 LTS e ferramentas hacking atualizadas

Chegando mais de sete meses após o Parrot 4.10, o lançamento do Parrot 4.11 é alimentado pela série de kernel Linux 5.10 mais recente LTS (Long-Term Support) para melhor suporte de hardware e inclui componentes centrais atualizados baseados no Debian estável 10 Repositórios de sistema operacional Buster.

Enquanto o Parrot 4.11 vem com o Linux 5.10 LTS como kernel padrão, a equipe planeja atualizar o sistema para a série de kernel Linux 5.11 lançada recentemente, já que o Parrot segue um modelo de lançamento contínuo.

Mas eles não forneceram um prazo para isso, e se você instalar o Parrot 4.11, certifique-se de mantê-lo atualizado.

Parrot é uma distro orientada para segurança em suas raízes, então você pode esperar atualizações perceptíveis para seus testes de penetração favoritos e ferramentas de hacking ético no Parrot 4.11.

Incluídos na nova versão estão Metasploit 6.0.36, Bettercap 2.29, bem como Routersploit 3.9.

Além disso, a ferramenta Pompem de exploração e localização de vulnerabilidades foi corrigida pela equipe do ParrotSec para usar o novo servidor wpvulndb e lidar adequadamente com os serviços inativos.

O mesmo vale para a ferramenta keystroke sniffer Xspy X-windows, que foi corrigida para evitar que seja executável no sistema host.

Entre outras mudanças dignas de nota, o Parrot 4.11 adiciona suporte para os shells Fish e Zsh, atualiza as edições KDE Plasma e Xfce com várias melhorias e correções de bugs e, finalmente, descontinua o suporte ao Python 2, já que a distro agora vem com o Python 3.9 por padrão.

Os desenvolvedores do ParrotSec também revelaram o fato de que planejam lançar um ramo LTS da distribuição em um futuro próximo, com sorte junto com a versão de lançamento contínuo.

A edição LTS promete estabilidade em relação aos recursos de ponta e também irá reintroduzir o suporte a ARM e a liberdade init.

Muita limpeza também foi feita no Parrot 4.11, e você pode verificar as notas de lançamento para obter mais detalhes sobre o que foi removido, revisitado ou substituído.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Parrot 4.11

Você pode baixar o Parrot como edições Home e Security de 64 bits com os desktops MATE, KDE ou Xfce agora mesmo no site oficial, onde você também encontrará containers Docker e imagens OVA para executar o Parrot em uma máquina virtual ou em um container .

As imagem ISO do Parrot 4.10 já pode ser baixada acessando a página de download da distribuição.
Ou diretamente nesses endereços:
Parrot 4.10 MATE Parrot 4.10 KDE
Parrot 4.10 KDE
Parrot 4.10 Xfce

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.