Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Reino Unido baniu da ARM os fabricantes de microprocessadores russos

Como parte das sansões contra a Rússia e a favor da Ucrânia, o Reino Unido baniu da ARM os fabricantes de microprocessadores russos.

O governo do Reino Unido adicionou 63 entidades russas à sua lista de sanções na quarta-feira. Entre eles estão Baikal Electronics e MCST (Moscow Center of SPARC Technologies), os dois fabricantes de chips mais importantes da Rússia.

As duas entidades sancionadas agora terão acesso negado à arquitetura ARM, uma vez que a Arm Ltd., a licenciada, está sediada em Cambridge, na Inglaterra, e terá que cumprir as sanções.

Reino Unido baniu da ARM os fabricantes de microprocessadores russos

Reino Unido baniu da ARM os fabricantes de microprocessadores russos
Reino Unido baniu da ARM os fabricantes de microprocessadores russos

As duas empresas são consideradas vitais para os esforços de independência tecnológica da Rússia, já que devem intensificar e cobrir a escassez criada pela falta de processadores fabricados por fabricantes de chips ocidentais, como Intel e AMD.

As medidas restritivas impostas ao Baikal e ao MCST foram justificadas pelo governo do Reino Unido da seguinte forma:

“O objetivo desta disposição é encorajar a Rússia a cessar as ações desestabilizadoras da Ucrânia ou minando ou ameaçando a integridade territorial, soberania ou independência da Ucrânia.”

Neste momento, os processadores mais avançados que os dois têm a oferecer são:

  • Baikal BE-M1000 (28nm), um 35 Watt usando oito núcleos ARM Cortex A57 com clock de 1,5 GHz e uma GPU ARM Mali-T628 com clock de 750 MHz.
  • Baikal BE-S1000 (16nm), um processador de 120 Watts com 48 núcleos ARM com clock de 2,0 GHz
  • MCST Elbrus-8C (28nm), um processador de 70 Watts com oito núcleos com clock de 1,3 GHz
  • MCST Elbrus-16S (28nm), um processador de 16 núcleos com clock de 2,0 GHz, capaz de cálculos de 1,5 TFLOP, que é um décimo do que um Xbox Series X pode alcançar.

As empresas e organizações russas que testaram esses chips em aplicativos exigentes relatam que não podem competir com as ofertas padrão do setor, algumas até chamando-as de inaceitáveis.

Embora esses processadores, e os chips muito piores de nível intermediário e baixo que carregam o adesivo Baikal e MCST, não apresentem um desempenho impressionante, eles podem manter algumas partes vitais da seção de TI russa durante a escassez.

De fato, o MCST recentemente se gabou de estar preenchendo com sucesso a lacuna criada no mercado nacional, “correndo para o resgate” de empresas e organizações críticas russas.

É fácil descartar a aplicabilidade e o impacto das sanções do Reino Unido, considerando que a Rússia mostrou antes que está disposta a facilitar os regulamentos de licenciamento para diminuir os efeitos das restrições impostas pelo Ocidente.

No entanto, é importante lembrar que os processadores Baikal e MCST são fabricados em fundições estrangeiras, como Samsung e TSMC, e esses dois não infringiriam as regras de licenciamento da Arm e a lei internacional para facilitar os interesses russos.

A Baikal, que possui uma licença válida para produzir em 16nm, possui apenas uma licença de design para seus próximos modelos, não para fabricação, então a única solução é levar a produção doméstica e ignorar as regras.

Este é outro grande problema, porém, já que a produção de chips na Rússia é totalmente obsoleta, atualmente capaz de produzir no processo de nó de 90 nm. Essa é a mesma tecnologia que a NVIDIA usou para suas placas da série GeForce 7000 em 2006.

O governo russo já aprovou um investimento de 3,19 trilhões de rublos (38,2 bilhões de dólares) para neutralizar isso em abril de 2022, mas aumentar a produção local levará muitos anos. Nos cenários mais otimistas, as fundições russas poderão produzir chips de 28nm até 2030.

Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.