Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Scientific Linux 7.9 lançado com OpenAFS, yum-cron e mais

E foi lançada mais uma atualização da distribuição Linux focada em ciência, o Scientific Linux 7.9. Confira as novidades e descubra onde baixar a distro.

Scientific Linux é uma distribuição que é construída com base no pacote Red Hat Enterprise Linux e complementada por ferramentas focadas no uso em instituições científicas. Ela é mantido pelos laboratórios do CERN, Fermilab, DESY e ETH Zürich.

Esta é uma distribuição que possui compatibilidade binário com a distribuição Red Hat Enterprise Linux, compilada a partir do código-fonte RHEL, sob os termos do RHEL EULA e da licença GPL.

As diferenças em relação ao RHEL em geral são reduzidas a alterações de marca e eliminação de links para os serviços da Red Hat.

Aplicativos específicos de aplicativos, bem como drivers adicionais, são oferecidos para instalação em repositórios externos, como EPEL e elrepo.org.

Inicialmente, o projeto foi batizado como High Energy Physics Linux, passando a ser chamado Scientific Linux, pois foi amplamente adotado pela comunidade científica em geral.

Essa distribuição é usada no Large Hadron Collider, para as máquinas na rede de computadores GCH.

E apesar das noticias do encerramento, essa distro ainda está bem ativa.

Agora, a nova versão da distribuição Linux Scientific Linux 7.9 foi lançada.

Novidades do Scientific Linux 7.9

Scientific Linux 7.9 lançado com OpenAFS, yum-cron e mais
Scientific Linux 7.9 lançado com OpenAFS, yum-cron e mais

Scientific Linux 7.9 vem com várias melhorias, incluindo a inclusão de alguns novos pacotes que vêm para melhorar algumas coisas no sistema.

Esta nova versão do Scientific Linux 7.9 é construída com base no pacote Red Hat Enterprise Linux 7.9 e complementada por ferramentas destinadas ao uso em instituições científicas.

Nesta nova versão da distribuição podemos descobrir que foi adicionado o pacote OpenAFS, o sistema de arquivos FS Andrew distribuído de código aberto, bem como o pacote SL_gdm_no_user_list, que desabilita a exibição da lista de usuários no GDM quando necessário para obedecer a uma política de segurança mais rígida e ao pacote SL_enable_serialconsole para configurar o console serial.

Além disso, foram feitas mudanças nos pacotes, principalmente relacionadas ao rebrand.

O sistema yum-cron é usado para instalar atualizações automaticamente, ao invés do yum-autoupdate. Por padrão, as atualizações são aplicadas automaticamente e, em seguida, uma notificação é enviada ao usuário.

Para alterar o comportamento no estágio de instalação automatizada, os pacotes SL_yum-cron_no_automated_apply_updates (proíbe a instalação automática de atualizações) e SL_yum-cron_no_default_excludes (permite a instalação de atualizações com o kernel) foram preparados.

Os arquivos com a configuração de repositórios externos (EPEL, ELRepo, SL-Extras, SL-SoftwareCollections, ZFSonLinux) foram movidos para um repositório centralizado, pois esses repositórios não são específicos para versões específicas e podem ser usados ​​com qualquer versão do Scientific Linux 7.

Para baixar dados sobre os repositórios, o usuário deve executar: “yum install yum-conf-repos” e configurar repositórios individuais, por exemplo, “yum install yum-conf-epel yum-conf-zfsonlinux yum-conf-softwarecollections yum-conf-hc yum-conf-extras yum-conf -elrepo“.

Comparado ao branch 6.x do Scientific Linux, os pacotes alpine, SL_desktop_tweaks, SL_password_for_singleuser, yum-autoupdate, yum-conf-adobe, thunderbird (disponíveis no repositório EPEL7) são excluídos da composição base e o pacote SL_no_colorls foi adicionado para desative a saída de cores em ls.

Os componentes (shim, grub2, kernel do Linux) que são usados ​​ao inicializar no modo UEFI Secure Boot são assinados com uma chave do Scientific Linux, que, quando ativada, requer operações manuais, pois a chave deve ser adicionada ao firmware.

Por último, foi mencionado que o Scientific Linux 7 adotou um uso mais forte das variáveis ​​yum para ajudar a simplificar a personalização para administradores individuais.

Agora, qualquer personalização de arquivos de repositório, como o uso de espelhos locais, é facilmente salva entre as versões, já que não se espera que os arquivos de repositório fornecidos pelo SL sejam alterados.

No entanto, isso fornece um comportamento inesperado durante os processo de Release Candidate.

Se a configuração 7x estiver habilitada, ela apontará para o repositório 7x em vez do repositório Release Candidate. Nesse momento, o repositório 7x conterá software mais antigo que o Release Candidate.

Para saber mais sobre essa versão da distribuição, acesse a nota de lançamento.

Baixe e experimente o Scientific Linux 7.9

Se você deseja fazer o download da imagem do Scientific Linux 7.9 para poder instalá-lo no seu computador ou para testar em uma máquina virtual, acesse a página de download da distribuição.

Verifique se a imagem ISO está corrompida

Antes de gravar a imagem ISO que você baixou, verifique se ela está corrompida usando o tutorial abaixo:
Como verificar se uma imagem ISO está corrompida

Como gravar uma imagem ISO no Linux

Quem precisar gravar a imagem ISO após o download, pode usar esse tutorial do blog:

Como gravar uma imagem ISO Usando o Nautilus
Como gravar uma imagem ISO usando o Terminal
Como criar um pendrive de instalação
Como criar um pendrive inicializável com GNOME Disks
Como criar um pendrive inicializável com o Etcher no Linux

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.