Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

SQLite 3.32 lançado com uma versão aproximada do comando ANALYZE

E foi lançado o SQLite 3.32 com uma versão aproximada do comando ANALYZE e outros recursos. Confira as novidades dessa atualização.

O SQLite é um mecanismo de banco de dados relacional leve, acessível através da linguagem SQL.

SQLite 3.32 lançado com uma versão aproximada do comando ANALYZE
SQLite 3.32 lançado com uma versão aproximada do comando ANALYZE

Diferentemente dos servidores de banco de dados tradicionais, como MySQL ou PostgreSQL, sua peculiaridade não é reproduzir o esquema cliente-servidor usual, mas integrar-se diretamente aos programas.

O banco de dados completo (declarações, tabelas, índices e dados) é armazenado em um arquivo independente da plataforma.

Graças à sua extrema leveza, entre outros, ele é usado em muitos programas de consumo e também é muito popular em sistemas integrados, incluindo os smartphones mais modernos.

Ao contrário dos sistemas de gerenciamento de banco de dados cliente-servidor, o mecanismo SQLite não é um processo separado com o qual o programa principal se comunica.

Em vez disso, a biblioteca SQLite é vinculada ao programa, tornando-se parte integrante do mesmo. O programa usa a funcionalidade SQLite através de chamadas simples para sub-rotinas e funções.

Isso reduz a latência no acesso ao banco de dados, porque as chamadas de função são mais eficientes do que a comunicação entre processos.

O conjunto do banco de dados (definições, tabelas, índices e os próprios dados) são salvos como um único arquivo padrão na máquina host.

Esse design simples é realizado bloqueando todo o arquivo do banco de dados no início de cada transação.

E recentemente, foi anunciada a nova versão desse aplicativo, o SQLite 3.32.0.

Novidades do SQLite 3.32

No SQLite 3.32.0 várias alterações foram implementadas e, dentre elas, destaca-se uma versão aproximada do comando ANALYZE, que permite que vários bancos de dados muito grandes lidem com um compilação parcial de estatísticas e sem uma análise completa dos índices.

O limite do número de registros ao digitalizar um único índice é definido usando a nova diretiva “PRAGMA analysis_limit”.

Outra mudança que chega a esta nova versão do SQLite é uma nova tabela virtual “bytecode”, que fornece informações sobre o bytecode das instruções preparadas.

Além disso, uma camada VFS de soma de verificação foi adicionada, adicionando somas de verificação de 8 bytes no final de cada página de dados no banco de dados e verificando cada vez que é lida no banco de dados.

A camada intermediária permite detectar a corrupção do banco de dados como resultado da distorção aleatória de bits nos dispositivos de armazenamento.

Além disso, uma nova função SQL iif (X, Y, Z) foi adicionada, retornando o valor Y se a expressão X for verdadeira ou Z, caso contrário.

As expressões INSERT e UPDATE agora sempre aplicavam a configuração das condições do tipo de coluna antes do bloco de cálculo CHECK, e o limite no número de parâmetros foi aumentado de 999 para 32766.

Das outras mudanças presentes nesta nova versão se destacam os seguintes itens:

  • Adicionada a extensão da sequência de classificação UINT com a implementação de sequências de classificação que levam em consideração números inteiros no texto para classificá-lo em ordem numérica.
  • Na interface da linha de comandos, as opções ‘–csv’, ‘–ascii’ e ‘–skip’ foram adicionadas ao comando ‘.import’.
  • O comando “.dump” permite o uso de vários modelos LIKE com fusão na saída de todas as tabelas correspondentes às máscaras especificadas. Adicionado “.oom” comando para compilações de depuração.
  • A opção –bom foi adicionada aos comandos “.excel”, “.output” e “.once”. Adicionada a opção -schema ao comando “.filectrl”.
  • A expressão ESCAPE especificada com o operador LIKE agora substitui caracteres curinga, o que é consistente com o comportamento do PostgreSQL.

Para saber mais sobre essa versão do SQLite, acesse a nota de lançamento.

Como instalar ou atualizar o SQLite 3.32

Para aqueles interessados ​​em poder instalar esta nova versão do SQLite em seu sistema, eles poderão obter os pacotes no site oficial em sua seção de download, onde estão disponíveis o código fonte (para compilação) e os pacotes pré-compilados.

Ou, aguarde que a sua distribuição disponibilize essa nova versão nas atualizações dela.

O que está sendo falado no blog

Categorias Arch, Debian, Elementary, Fedora, Gentoo, Kali, Kylin, Linux, Linux Mint, Mageia, Mandriva, Manjaro, Não categorizado, Notícias, Open Source, OpenMandriva, openSUSE, pclinuxos, Pop!_OS, RedHat, Sabayon, Scientific, slackware, Software livre, Solus, SUSE, Trisquel, Ubuntu, Zorin Tags , , , ,
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.