Como o Linux pode substituir o Windows na China

Entenda como o Linux pode substituir o Windows na China, agora que o país já tem seus próprios chips e seu sistema operacional baseado em Linux!

Entenda como o Linux pode substituir o Windows na China, agora que o país já tem seus próprios chips e seu sistema operacional baseado em Linux.

Os planos da China de substituir o Windows e mudar para um sistema operacional doméstico não são novos, mas este ano, tudo pode finalmente acontecer.

Como o Linux pode substituir o Windows na China
Como o Linux pode substituir o Windows na China

Isso é o que promete a Union Tech, com base na China, pois seu Sistema Operacional Unificado (UOS), baseado em Linux, fez um enorme progresso nos últimos dois meses.

Como o Linux pode substituir o Windows na China

Mais especificamente, a empresa chinesa trabalhou em conjunto com outras empresas locais para executar o sistema operacional Linux em chips desenvolvidos internamente.

E, de acordo com um relatório recente, uma conquista importante foi alcançada em janeiro, quando o UOS conseguiu inicializar em 30 segundos neste hardware.

O UOS é um sistema operacional baseado no Deepin, uma distribuição Linux que já é bastante popular na China.

O gerente geral da Union Tech não é outro senão Liu Wenhan, fundador da Deepin que ingressou na empresa após a aquisição da Deepin Technology.

Afastando-se de software e hardware estrangeiros

A otimização da plataforma baseada em Linux para hardware desenvolvido localmente é uma parte essencial do esforço da China para se afastar de produtos estrangeiros.

A luta da Huawei nos Estados Unidos é vista como a prova viva de que confiar mais em soluções locais é a única solução daqui para frente.

Em 2019, a Huawei foi proibida de usar produtos desenvolvidos por empresas americanas, incluindo o sistema operacional móvel Android do Google, que alimenta seus smartphones nos mercados internacionais.

Mas agora que a China tem seu próprio sistema operacional rodando em seus próprios chips, com isso, o país espera que desistir do Windows seja uma coisa muito mais fácil de fazer a longo prazo.

Nesse ponto, o sistema operacional chinês alimenta apenas cerca de 1% dos sistemas na China, mas Liu Wenhan espera que essa adoção aumente substancialmente quando o UOS estiver disponível para todos.

Uma fatia de 30% poderia ser alcançada em alguns anos, disse Wenhan, segundo a fonte citada, especialmente porque mais esforços são direcionados ao desenvolvimento de hardware compatível.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…