Canonical diz que minerar criptomoedas em app não é ilegal

Confira os detalhes da afirmação da Canonical que informou que minerar criptomoedas em app não é ilegal!

Pouco tempo depois de remover de um editor com problemas relacionados a atividades obscuras, a informou que minerar criptomoedas em app não é ilegal. Confira os detalhes dessa afirmação.


A Canonical divulgou uma declaração para informar a comunidade Linux sobre as ações realizadas nos pacotes snap que faziam mineração de criptomoeda em segundo plano, quando estava em execução.
Canonical diz que minerar criptomoedas em app não é ilegal
Canonical diz que minerar criptomoedas em app não é ilegal

Na semana passada, os usuários descobriram que dois dos pacotes enviados pelo usuário Nicolas Tomb na Snap Store, a saber, 2048buntu e Hextris, mineravam criptomoedas em segundo plano enquanto os aplicativos estavam sendo executados, sem o conhecimento do usuário.

Diante do problema, a Canonical removeu imediatamente os aplicativos de sua Snap Store.

Canonical diz que minerar criptomoedas em app não é ilegal

Agora, a empresa por trás do popular sistema operacional Ubuntu Linux está lidando com o problema dizendo que a loja não possui regras contra a criptografia de mineração por meio de aplicativos Snap, claro, caso o desenvolvedor informe os usuários sobre isso.

Como Nicolas Tomb não informou aos usuários que seus programas estavam explorando criptomoedas, os aplicativos dele foram removidos.

A Canonical também disse que a mineração de criptomoeda não é ilegal, nem antiética. Então, a única coisa que Nicolas Tomb fez de errado, foi não informar aos usuários que seus aplicativos snap faziam mineração de criptomoedas em segundo plano.

Nicolas Tomb informou à Canonical que seu objetivo era “monetizar software publicado sob licenças que permitissem isso”.

Nas próprias palavras da Canonical:

“É enganoso se não houver nenhuma indicação do objetivo secundário do aplicativo. […] Não há regras contra as criptomoedas de mineração, mas os usuários enganosos são um problema. Os snaps lançados por esse editor já foram removidos e serão republicados com conteúdo apropriado por uma parte confiável.”

Na extensa publicação do blog, a Canonical explica que não tem mão de obra para revisar centenas de milhares de linhas de códigos fonte dos pacotes publicados todos os dias na Snap Store. Por isso, convida os usuários a instalar aplicativos apenas de fontes e desenvolvedores confiáveis.

Com isso em mente, a empresa promete impor a segurança de seu Snap Store implementando a capacidade de sinalizar editores específicos como verificados, ajudando os usuários com sua decisão de instalar um certo snap da Snap Store, que atualmente contém mais de 3.000 pacotes para aplicativos de código aberto e de código fechado.

Por design, o formato do pacote Snap é muito seguro, pois executa o aplicativo incluído em uma sandbox, da mesma forma que o e o AppImage. No entanto, Snaps não são executados apenas no Ubuntu, mas em uma ampla gama de sistemas operacionais baseados em Linux, incluindo Arch Linux, Solus, OpenSuSE, Fedora, Debian GNU, Gentoo, Linux Mint, OpenWrt e outros.

E você? O que acha de tudo isso? Dexie sua opinião nos comentários!

O que está sendo falado no blog



blog comments powered by Disqus