Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

Ubuntu Studio morrerá se não for suportado pela comunidade

Ubuntu Studio morrerá se não for suportado pela comunidade, segundo um artigo publicado pelo próprio projeto. Confira os detalhes do problema e entenda.

O Ubuntu está atualmente disponível em 8 sabores. Alguns dessas variantes são apenas um Ubuntu com um determinado ambiente gráfico (Xubuntu/XFCE, Kubuntu/KDE e etc), mas tem um que se destaca por ser voltado a uma necessidade: o Ubuntu Studio.

Ubuntu Studio morrerá se não for suportado pela comunidade
Ubuntu Studio morrerá se não for suportado pela comunidade

Essa é uma versão do sistema Canonical que basicamente possui pacotes para edição multimídia instalados por padrão, que podem ser úteis para criadores de conteúdo, mas também podem ser considerados “bloatware” se houver algo que você não use.

As dúvidas sobre se esse sabor deve permanecer oficial ou não não são novas e, devido ao que é publicado neste artigo do projeto, eles estão repensando seu futuro.

Há quase um ano, recebemos a notícia: após um tempo de reflexão e vendo que a comunidade de usuários os apoiava, o Ubuntu Studio continuaria sendo o sabor oficial da família Canonical.

Mas o que foi publicado no artigo é um pouco mais preocupante: eles não precisam mais conhecer apenas a opinião dos usuários; agora eles mencionam questões relacionadas ao desenvolvimento e manutenção.

Ubuntu Studio morrerá se não for suportado pela comunidade

O projeto pede para que seus usuários sejam mais participativos ou para serem os usuários mais avançados, respondendo a perguntas dos menos especialistas nos diferentes canais que eles disponibilizam para as pessoas (como bate-papos no IRC).

Isso tem a ver com algo que a comunidade (você e os outros usuários do sistema) deveriam estar fazendo atualmente, mas não estão fazendo. Essa é uma área que os desenvolvedores não podem fazer nada, caso contrário, eles estariam trabalhando no Ubuntu Studio em período integral. Atualmente, não há funcionários pagos do Ubuntu Studio. Portanto, para evitar esgotar a equipe de desenvolvimento, eles não atenderão às solicitações de suporte, mas terão prazer em fornecer orientação para aqueles que o fazem.

O Ubuntu Studio explica que eles desaparecerão se o último não acontecer, algo compreensível: não há ninguém para cobrir, pelo menos diretamente, o trabalho que eles estão fazendo para manter a distribuição à tona.

Se eles perderem tempo respondendo às perguntas técnicas dos usuários, não poderão dar toda a atenção necessária ao desenvolvimento, não melhorarão, o sistema ficará pior e, eventualmente, desaparecerão.

Você acha que o Ubuntu Studio deve continuar existindo?

Você acha que é um sabor dispensável porque podemos instalar seu software manualmente?

Se você é um daqueles que acha que deveria existir e tem o conhecimento, ajude-os. Eles precisam de você.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.