Do not speak Portuguese? Translate this site with Google or Bing Translator

União Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para melhorar a confidencialidade das comunicações

A União Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para melhorar a confidencialidade das comunicações. Entenda porque ela tomou essa decisão.

O Telegram sempre foi um serviço de mensagens poderoso, e em alguns pontos, superior ao WhatsApp. Além de oferecer muitos recursos antes mesmo do WhatsApp, esse aplicativo é altamente focado na segurança.

União Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para melhorar a confidencialidade das comunicações
União Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para melhorar a confidencialidade das comunicações

Agora, a Comissão Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para garantir a confidencialidade das comunicações entre seus membros.

União Europeia decidiu recomendar o uso do Signal para melhorar a confidencialidade das comunicações

As razões pelas quais a Comissão Europeia tomou a decisão de usar o Signal derivam em grande parte da transparência oferecida pelo serviço de courier contra alternativas como WhatsApp e Telegram.

O primeiro, embora seu protocolo seja baseado no do Signal, é um software proprietário, enquanto o segundo, segundo o Político, “enfrenta preocupações semelhantes sobre a falta de transparência sobre como sua criptografia funciona”, como seu servidor é proprietário.

Signal é um serviço de mensagens com criptografia de software livre de ponta a ponta no nível do cliente e do servidor.

O fato de ter se concentrado muito na privacidade e em seu alto nível de transparência ganhou muitos adeptos, principalmente entre ativistas políticos e jornalistas que trabalham em países onde os direitos fundamentais são reprimidos.

Seu desenvolvimento é de responsabilidade da Signal Foundation, uma fundação sem fins lucrativos que começou forte graças aos 50 milhões de dólares doados por Brian Acton, co-fundador da WhatApp e um gerente arrependido de uma grande empresa arrependida que há muito tempo defende a privacidade.

Voltando às razões do compromisso da Signal pela Comissão Europeia, a origem também pode ser que o sistema usado pela União Europeia não daria os resultados desejados:

“Em dezembro de 2018, a empresa de pesquisa em segurança cibernética A Área 1 Security disse que descobriu que milhares de cabos diplomáticos foram baixados do sistema EU COREU (ou cortesia), que os governos nacionais e instituições da UE usam para trocar informações diárias sobre política externa.”

Em outro incidente descoberto em junho do ano passado, “a delegação da UE em Moscou sofreu o que parecia ser uma violação de segurança cibernética em 2017, com dois computadores supostamente hackeados para roubar informações diplomáticas. A Comissão disse que estava investigando a questão e informou seus principais diplomatas.”

A União Européia está atualmente no processo de criar um novo rascunho sobre o qual sua nova estratégia de segurança cibernética será moldada, através da qual a criação de uma unidade conjunta de segurança cibernética poderá ser proposta para apoiar os países e organizações da União Européia em caso de receber um ataque cibernético.

Além disso, os funcionários da Comissão Europeia já são obrigados a criptografar e-mails com informações confidenciais não classificadas, ainda existem regras de segurança mais estritas para as informações classificadas.

Em suma, parece que a União Europeia precisa renovar seus protocolos e sistemas de segurança cibernética para proteger seus dados.

Por outro lado, e apesar do servidor e do cliente serem software livre, o Signal funciona centralmente, portanto seria mais conveniente para a União Europeia apostar no Matrix, que oferece a possibilidade de ter uma infraestrutura de comunicação descentralizada.

O que está sendo falado no blog

Veja mais artigos publicados neste dia…

Compartilhe:
Sobre o Edivaldo Brito

Edivaldo Brito é analista de sistemas, gestor de TI, blogueiro e também um grande fã de sistemas operacionais, banco de dados, software livre, redes, programação, dispositivos móveis e tudo mais que envolve tecnologia.

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.